Cláudio Moreno não quer mais fim do contrato com Nossa Senhora de Fátima

O polêmico radialista e vereador Cláudio Moreno de Andrade, que exerce seu primeiro mandato, anunciou na sessão de terça-feira, dia 11, na Câmara Municipal que iria retirar do ar a petição pública em que ele pedia o fim do contrato entre a Prefeitura de Bragança Paulista e a empresa Nossa Senhora de Fátima, responsável pelo transporte público no município.

Como é que é?

Isto mesmo, o vereador filiado ao Democratas de Jesus Chedid, que brigou com os colegas vereadores, por não ser líder do partido na Câmara, não quer mais o fim do contrato e paralisou o recolhimento de assinaturas.

Cláudio Moreno, que passou boa parte de sua campanha, criticando a empresa usou a Tribuna Livre para explicar o porque da decisão de retirar a petição do ar.

Na sua explanação ele falou da coletiva de imprensa, realizada na semana passada no gabinete do prefeito Jesus Chedid, com mais de uma hora e meia de atraso, onde foi anunciada a compra de 30 novos ônibus novos e 12 seminovos.

O vereador criticou e responsabilizou as administrações anteriores pelo cumprimento do contrato e disse que a compra dos novos ônibus que entrarão em operação de forma parcelada: 10 em julho, 10 em setembro e 10 em dezembro, bem como a fiscalização que vem sendo realizada e será intensificada e a implantação de novas linhas expressas o fizeram repensar e cancelar o pedido de quebra de contrato.

“Devido a tudo isto estou retirando a minha petição que pedia o cancelamento do contrato”, disse.

Confira trecho do que disse o vereador:

Durante toda a campanha eleitoral, o  vereador fez campanha pelo fim do contrato e desde meados de março pela suas páginas no facebook estava colhendo assinaturas pela internet, pretendo inclusive fazer uma campanha presencial.

Até a noite desta quarta-feira, dia 12, por volta das 21h17, entretanto, a petição, diferente do que o vereador anunciou, estava no ar e na mesma constavam apenas 609 assinaturas. Confira a petição: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR98313

No texto da petição, o vereador explicava que pedia o cancelamento do contrato, não só por causa das condições dos ônibus, mas porque os abaixo-assinados não suportavam mais tanto descaso, visto que os horários não estão sendo respeitados,  os itinerários são alterados ou retirados de circulação sem aviso prévio e não há um serviço de atendimento eficaz para buscar informações.

Ele reclamava ainda  das greves de motoristas por falta de pagamento tem virado rotina, o que tem gerado um sentimento de insegurança constante.

“O Belarmino entendeu a gravidade da situação e entendeu que se não atendesse o pedido do prefeito haveria grande possibilidade do rompimento do contrato ainda este ano”.

Vale lembrar que na coletiva ficou claro que as linhas que foram retiradas de circulação e tanto geram reclamação não irão voltar com a compra dos novos ônibus. Estudos serão realizados para ver se há ou não necessidade de readequação do que hoje existe.

Apesar do tema ser polêmico, não houve qualquer debate entre os vereadores sobre o assunto. Aliás, ninguém comentou o assunto após o seu discurso.

 

 

 

Facebook Comments