A Polícia Civil continua investigando a agressão registrada na madrugada de sexta-feira, dia 7, na casa noturna “No Porks”, no Lago do Taboão em Bragança Paulista, que pode deixar Diego Augusto Silva Gomes, de 30 anos, cego. O caso  ganhou repercussão nacional e segundo o delegado seccional de Bragança Paulista, Carlos Eduardo Silveira Martins, o fato deveria ter sido comunicado imediatamente à Polícia Civil já que não é comum o fato da polícia não ser acionada para ir até o local.

“Nós não sabemos o que aconteceu. Se a viatura foi acionada e não foi ou se não foi acionada nenhuma viatura. Eu acredito que não tenha sido acionada, apenas foi acionado o SAMU, mas o hospital teria que ter comunicado para gente tomar as providências imediatamente. O menino foi internado e no dia seguinte a mãe procurou o Plantão Policial onde foi lavrada a ocorrência e na segunda-feira, quando chegou à delegacia, imediatamente o delegado instaurou inquérito policial e iniciou as investigações”, disse o seccional.

O Bragança Em Pauta, foi o primeiro veículo de comunicação a divulgar o caso.

O fato ganhou inclusive repercussão nacional após exibição de reportagem no Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena. Na oportunidade, o delegado Marcelo Fabio Vitta, se negou a conceder imagens dos agressores para à imprensa. O secretário Estadual de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, foi inclusive acionado para tratar do caso.

O seccional ressaltou que as imagens da agressão não são nítidas,  mas são importantes para reconhecer os autores, sendo que as mesmas deverão ser divulgadas em breve.

“O Dr. Marcelo foi procurado por diversas emissoras, dentre elas a Bandeirantes. E ele explicou que ia preservar as imagens para tentar esclarecer a autoria deste delito, entendendo que a divulgação das imagens poderiam prejudicar as investigações”.

O seccional acrescentou inclusive que Marcelo Fábio Vitta, lhe garantiu que não houve interferência dos comerciantes e que o motivo teria sido realmente às investigações.

“Ele é um delegado muito conhecido. Um delegado austero e fez isto para preservar a investigação e para tentar esclarecer o mais rápido possível”, disse.

ENTENDA O CASO

Diego Augusto é Operador de Máquinas e saiu para passear na quinta-feira, dia 6 e não retornou.

Pela manhã, da sexta-feira, dia 7, sua mãe foi acionada por familiares que o rapaz tinha dado entrada no Hospital Universitário (HUSF), com graves lesões no rosto.

Imediatamente os familiares se dirigiram para o local e posteriormente para a delegacia, onde o caso teve registro.