armas e facas com malabares

A Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar apreenderam simulacros de armas de fogo e facas na noite de segunda-feira 3. A apreensão foi feita com malabares durante uma operação conjunta.

Durante a operação diversas abordagens foram realizadas pelas ruas da cidade. O propósito da ação, conforme o divulgado pela Guarda e PM é manter a ordem  e a segurança pública.

Além da Guarda Civil e da PM a operação contou com o apoio da Secretaria Municipal de Ação e Desenvolvimento Social, afinal também foram realizadas abordagens sociais.

Dois casais, que atuavam como malabares na altura do semáforo da Avenida dos Imigrantes com a Avenida Plínio Salgado foram abordados.

Na sequência, as forças de segurança vistoriaram um imóvel na Rua Jeronimo Martins Carreteiro. O imóvel estava abandonado e interditado pela Defesa Civil, no entanto, um destes casais o invadiu e lá estava morando.

Apreensão de armas e facas com os malabares

De acordo com nota divulgada pela Guarda Civil, no local foram encontradas facas e dois simulacros de arma de fogo, chave micha, entre outras ferramentas.

Os dois foram encaminhados ao Plantão Policial onde o caso teve registro. Os pertences encontrados foram apreendidos.

Com o outro casal abordado não foi encontrado nada de ilícito.  Como eles apresentavam sinais de embriaguez,  foram encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento da Vila Davi. Lá, receberam cuidados e medicação.

Conforme o apurado pelo Bragança Em Pauta, ambos passaram a noite no Albergue Municipal. Na manhã de terça-feira, receberam passagens para retornar para a cidade de origem.

Lei proíbe malabares nas ruas

Em outubro, através de decreto a Prefeitura de Bragança Paulista proibiu que malabares atuem nas ruas do município. A lei causou bastante polêmica. Uns defendem que continuem as apresentações pois seria arte e uma forma de sobrevivência. Outros concordam com a medida, pois temem pela segurança.

A medida é polêmica. Em cidades, como São José dos Campos por exemplo, o Tribunal de Justiça acatou uma ação do Ministério Público a favor do malabares.  Por lá a proibição acontece desde junho de 2017  e a justiça entendeu que  o município não pode estabelecer normas de trânsito, invadindo competência privada da União.

 

Deixe uma resposta