Bastidores Em Pauta implora: salvem nossos idosos!

Nesta semana, os leitores de Bragança Paulista puderam conhecer os 4 candidatos à Prefeitura da cidade. Para nós, ainda pré-candidatos, pois não possuem registro na Justiça Eleitoral e o período de campanha ainda não se iniciou. Conheça o histórico dos candidatos, em um olhar criterioso da coluna Bastidores Em Pauta.

Ao falar deles, durante o  período eleitoral usaremos sempre a ordem numérica (do menor para o maior) dos partidos.

JOÃO AFONSO SÓLIS, O JANGO

Jango começou sua carreira política como vereador. Foram três mandatos no Legislativo. Sempre popular, conhecido por suas caravanas, ao assumir a Prefeitura tentou emplacar esse estilo no Executivo ao não usar o carro oficial e comer sua pizza na extinta Padaria Estância. Uma simplicidade, que não era forçada e sim real.

Esse “Jeito Jango” acabou abrindo precedentes para que outras personalidades surgissem dentro do seu governo: os prefeitinhos. E assim ficou marcado quando passou pela prefeitura, um prefeito que não tomava todas as atitudes necessárias e abria espaço para que outros governassem.

Nesta Eleição, esse outro tem nome e sobrenome: José de Lima. É o grande articulador da candidatura e certamente será o nome forte de um futuro governo. Jango tentará ser prefeito pela terceira vez, o mesmo número de mandatos que possui o atual prefeito Jesus Chedid.

JESUS ADIB ABI CHEDID

Embora apresentar Jesus seja uma quase redundância, tamanho o seu lastro político com Bragança Paulista, lembramos que seu pai Hafiz Abi Chedid, que também foi prefeito de Bragança e sua mãe, Saada Nader Abi Chedid, vieram do Líbano.

Saada era presidente do SAMA, quando a entidade sofreu intervenção judicial, decretada pelo então juiz Nagashi Furukawa. O caso foi noticiado pelo jornal O Estado de São Paulo, de 15 de junho de 1983.

Eleito prefeito de Bragança pela primeira vez em 1992, exerceu o mandato de 1993 a 1996. Em 2000, ganhou sua segunda eleição e governou de 2001 a 2004, sendo reeleito.

Nabi, seu irmão, foi deputado estadual dez vezes, seu filho Edmir Chedid está no sexto mandato na mesma Assembleia Legislativa. Seu outro filho, Elmir Chedid foi prefeito de Serra Negra e é atual pré-candidato ao mesmo cargo.

Em 2005, Jesus, foi cassado peça Justiça Eleitoral e teve que deixar o cargo do mandato que iria até o final de 2008. O prefeito Jesus Chedid foi condenado e cassado em 2005, por ter realizado propaganda eleitoral em período vedado pela Justiça em emissora de TV. Na época a TV Altiora era chefiada por sua própria nora, Tereza Chedid, esposa do deputado Edmir Chedid.

Para a realização dos programas, que contava com a apresentação de funcionários da Assessoria de Imprensa da Prefeitura, ele teria gasto cerca de R$ 400 mil dos Cofres Públicos.

Uma liminar do STJ na última semana, suspendeu a condenação de Chedid por improbidade administrativa no caso de reforma do Bragantino e com isto, uma eventual chance de a candidatura ser inviabilizada na Justiça Eleitoral, foi descartada.

Em 2016 voltou para a Prefeitura, nos braços do povo, com mais de 60 mil votos.

ADALBERTO ALESSANDRI

Este sobrenome, você já conhece na política de Bragança não? Pois bem. O Professor Adalberto, do PSOL, começou na política aí mesmo, no PFL, o atual Democratas.

Seu pai era vereador pelo Grupo Chedid e devido a um problema de saúde, não disputou uma eleição e tentou emplacar o filho da política. Esse enredo, também não é novidade em Bragança.

Ele inclusive foi eleito vereador em 1992.

Depois de algum tempo, Adalberto foi se “esquerdando” e do então PFL foi parar hoje no PSOL, por incrível que pareça. Além da educação, a principal bandeira da candidatura será o “antibolsonarismo”.

BASILIO ZECCHINI FILHO

Assim como Professor Adalberto, do PSOL, Basilio Zecchini também nasceu politicamente nos berços do Grupo Chedid.

Em 2012, foi candidato a vereador pelo Democratas, que na ocasião tinha como candidatos à prefeito Renato Frangini, hoje pré-candidato a vereador do mesmo DEM e como vice-prefeito o atual secretário Chefe de Gabinete de Jesus Chedid, Galileu de Matos.

Chegou a ser Chefe de Divisão no Governo Frangini, por um curto período.

Em 2016, Basilio migrou para o grupo de Gustavo Sartori, ocasião em que foi eleito vereador pelo PSB.

Em 2018, foi candidato à deputado estadual e teve cerca de 7.500 votos em Bragança Paulista. Não contou com o apoio de Sartori, presidente de seu partido, que rachou na cidade.

Posteriormente, foi para o PSD, do prefeito de Atibaia Saulo Pedroso, que de olho nas Eleições de 2022 tem fortalecido seu grupo político regionalmente. Além de Saulo, abriga hoje no seu partido os bolsonaristas do partido nunca criado Aliança pelo Brasil.

FALANDO EM PRÉ-CANDIDATOS…

Nesta semana, o Em Pauta Entrevista deu prosseguimento a cobertura das Eleições 2020. O sexto pré-candidato a ser entrevistado foi Jango, do PTB. Na próxima sexta, a entrevista será com Basilio Zecchini, do PSD.

Se você ainda não assistiu o programa, confira o posicionamento do pré-candidato Jango sobre vários temas, como política local e nacional; saúde; mobilidade urbana; segurança; habitação; meio ambiente; gestão administrativa; educação; cultura e turismo:
https://www.facebook.com/bragancaempauta/videos/328366898388605/

ABANDONARAM O PT E O PC do B

Se o Jango, em 2008, fez uma coligação praticamente inédita no Brasil entre PT e PSDB fazendo esquerda e direita andar juntas contra o grupo Chedid, desta vez, ele que está no PTB de Roberto Jefferson (pai da ex-deputada presa Cristiane Brasil), aceitou coligação com o PSB, mas deixou PT e PC do B de fora.

Segundo nota divulgada pela direção do Partido dos Trabalhadores, eles vinham conversando desde o ano passado, mas na hora H…
Em nota divulgada no Facebook, o PT ressalta que o ROMPIMENTO POLÍTICO aconteceu devido a postura política dos partidos agregados na referida coligação.

“Nós do PT e do PCdoB, temos compromisso com a cidade, entendemos que a construção se dá de forma transparente principalmente com respeito entre os agentes políticos que querem de fato construir um município para todos e todas, o que não ocorreu nas últimas 24 horas após a convenção municipal”.

Os partidos ainda acrescentam: “Nós entendemos que Política é para pessoas sérias, comprometidas, de palavra, que buscam agregar pessoas com foco para Reconstruir e Transformar Bragança, acreditando e ouvindo os cidadãos e cidadãs que sabem a cidade que querem para viver com qualidade de vida e esperança no coração”.

E POR FALAR EM ABANDONO E TRAIÇÃO …

É assim que se sentem muitos que vinham apoiando uma candidatura a prefeito de Gustavo Sartori: abandonados e traídos.

Depois de provocar um racha no próprio partido em 2018, agora ele decidiu abrir mão de tentar ser prefeito pela quarta eleição seguida, para ser candidato a vice.

Alguns apoiadores se revoltaram com a atitude e vem fazendo campanha contra nas redes sociais.

Fogo amigo?

IDENTIFICANDO UM FAKE

Em tempos de eleição, infelizmente, algo que cresce não são só as fakenews, mas também os perfis fakes. E para você identificar um damos algumas dicas:
1- Não aceite pedidos de amizade de quem você não conhece.
2- Veja se o perfil tem amigos reais ou só amigos políticos, celebridades ou pessoas que nem são da cidade. Neste caso, desconfie. Lembre-se sempre: pessoas reais tem amigo reais.
3- Confira quando a pessoa entrou no Facebook. Muitos perfis são criados em anos eleitorais. Desconfie.
4 – Clique com o botão direito do mouse em cima da foto do perfil e procure a imagem no Google. Você pode se surpreender.
5- Não se deixe levar pelo impulso. Perfil fakes costumam fazer comentários maldosos sobre uma pessoa, página ou instituição assim que uma postagem é feita, com o objetivo de criar um efeito de manada. O que é isto? Muita gente vai na onda, e faz o mesmo. Lembre-se, entretanto, que o fake muitas vezes pode se esconder, e você pode até ser processado.

A POLÊMICA DE ATIBAIA

Recentemente, o prefeito de Atibaia Saulo Pedroso inaugurou Centro Integrado de Educação Municipal II Prefeito Saulo Pedroso de Souza.
Isso mesmo, o prédio público leva o nome do prefeito, após a Câmara Municipal do vizinho município aprovar tal homenagem.

Nesta semana, o juiz Marcelo Junqueira, da 2ª Vara Cível de Atibaia, que deu prazo de 48 horas para que seja removida qualquer referência pessoal ao nome dele do Centro.

A decisão é baseada em uma Ação Popular movida contra a Câmara Municipal de Atibaia e a pessoa física do prefeito Saulo Pedro.

Em nota, a Prefeitura de Atibaia informou que a ordem judicial será cumprida, mesmo não havendo impedimento na legislação eleitoral para a denominação de próprios públicos e que irá recorrer.

REIZINHO ESTÁ MUITO TEMPO NO CARGO

Ao comentar a polêmica na Rádio Atibaia, de propriedade do seu grupo político, assim como a FM 102 de Bragança, o deputado estadual Edmir Chedid chamou o prefeito Saulo de “reizinho”, pois está muito tempo no cargo: 8 anos.

Edmir Chedid está no seu sétimo mandato como deputado estadual, ou seja, caminhando rumo aos 28 anos de mandato. Ele vem aliás de uma família de políticos. Seu avô foi prefeito, seu pai está em busca do quarto mandato e já se cogita a possibilidade da entrada de seu filho na política. Família de reis?

E, vale lembrar, que o primo de Edmir, Marquinho Chedid, foi o responsável por arrancar o nome de Marcelo Stefani do estádio do Bragantino e colocar o nome de Nabi Chedid. Na época, Edmir não se revoltou com a homenagem em detrimento de apagar o nome de outro importante esportista, que havia colaborado com o clube.

Semana que vem, tem mais Bastidores Em Pauta

Quer receber notícias de Bragança Paulista e região no celular?  É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta