Vacinação contra sarampo vai até 31 de agosto em todas as unidades com sala de vacina, em Bragança Paulista. Confira aqui quem deve se vacinar.

A partir de agora, todas as unidades de saúde do Estado de São Paulo, que têm salas de vacina, devem vacinar contra o sarampo, bebês de seis meses até um ano.

De acordo com o divulgado pelo Governo do Estado, a medida é valida para todas as 645 cidades paulistas.

A estratégia foi definida em conjunto com o Ministério da Saúde, visando a prevenção do público infantil. Antes, a vacinação em bebês só estava disponível onde havia casos de sarampo confirmado.

Dos 74 municípios que vinham vacinando bebês, na região estavam Atibaia e Piracaia. Na lista do governo do Estado Atibaia e Piracaia aparecem com um caso confirmado cada uma.

Já de acordo com nota divulgada pela Prefeitura de Atibaia,  a cidade contabiliza 3 casos confirmados. Dois dos casos, aliás, de acordo com a nota, foram classificados como reação pós vacinação. Os casos foram registrados em um rapaz de 18 anos, um jovem de 24 e um homem de 39 anos.

Bragança apesar das notificações de casos suspeitos não tem casos confirmados da doença até agora.

Porque vacinar os bebês?

A medida de aplicar vacina em todo o Estado, foi tomada por causa da vulnerabilidade de casos graves e óbitos nessa faixa etária. Eles representam cerca de 13% do total de casos registrados em São Paulo.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

A aplicação da chamada “dose zero” visa proteger as crianças.  Ela não será contabilizada no calendário nacional de vacinação da criança. Ou seja, os pais ou responsáveis também deverão levar as crianças aos postos para receber a tríplice viral aos 12 meses e também aos 15 meses para aplicação do reforço com a tetraviral, que protege também contra varicela.

Após a aplicação da “dose zero”, é preciso aguardar pelo menos 30 dias para aplicação da tríplice aos 12 meses, como prevê o calendário. “Trata-se de uma medida preventiva para proteger os bebês e consequentemente suas famílias. A vacina é segura e eficaz”, explica a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato.

Além da vacinação os municípios devem seguir realizando ações de bloqueio diante da notificação de casos da doença.

Crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter pelo menos duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 59 anos, é preciso ter pelo menos uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos, pois esse público potencialmente teve contato com o vírus, no passado.

Até sábado, 24, tinham sido registrados no Estado de São Paulo 1.797 casos de sarampo. Destes, 73% se concentram na capital, com 1.314 casos.

 

 

Deixe uma resposta