Após os surtos de sarampo em Roraima e no Amazonas há um alerta, em todo o país, com relação a doença. A infecção já foi considerada uma doença comum, no Brasil, principalmente entre as crianças, mas em meados dos anos 90 foi eliminada do país.

Diante dos surtos o Ministério da Saúde promoverá entre os dias 6 e 31 de agosto em todo o país a Campanha Nacional de Vacinação contra Polio e Sarampo. Durante esse período, os postos de saúde da rede pública oferecerão as doses gratuitamente.

Mas em Bragança Paulista, desde esta segunda-feira, 16, está sendo realizado um trabalho de porta em porta pela Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças, em parceria com a Escola Nova Biotec.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A ideia é fazer uma busca ativa de não vacinados contra o sarampo.

Os profissionais percorrerão os bairros da cidade realizando o trabalho casa a casa para avaliação da carteira de vacina de crianças de 1 a 5 anos e caso necessário já será ofertada a dose.

Para a vacinação em adolescentes e adultos, é necessário ir até uma unidade de saúde. Nesta semana, a ação acontecerá na região do Parque dos Estados, das 8h às 16h.

A Secretaria da Saúde solicita aos munícipes que recebam os profissionais da saúde, que estarão devidamente identificados. Abaixo, segue o esquema vacinal e os grupos que não devem receber a vacina de acordo com o Ministério da Saúde:

Esquema vacinal:

Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade: uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral).

Crianças de 5 anos a 9 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente: duas doses da vacina tríplice.

Para adolescentes e adultos até 58 anos:

  • Pessoas de 10 a 29 anos  –  duas doses da vacina tríplice
  • Pessoas de 30 a 58 anos  – uma dose da vacina tríplice viral

Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

Não devem receber a vacina:

  • Casos suspeitos de sarampo
  • Gestantes – devem esperar para serem vacinadas após o parto. Caso esteja planejando engravidar, assegure-se que você está protegida. Um exame de sangue pode dizer se você já está imune à doença. Se não estiver, deve ser vacinado um mês antes da gravidez. Espere pelo menos quatro semanas antes de engravidar.
  • Menores de 6 meses de idade
  • Imunocomprometidos

O Sarampo é uma doença grave que pode levar à morte. Pode ser contraído por pessoas de qualquer idade. A doença é transmitida com facilidade de uma pessoa para outra por meio da fala, tosse e espirro.

Os principais sintomas são: febre maior que 38°C, dor de cabeça, olhos vermelhos/conjuntivite, tosse, manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas e, em seguida, se espalham pelo corpo e costuma descamar.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS)entre 1º de janeiro e 23 de maio de 2018, foram registrados 995 casos de sarampo no país (sendo 611 no Amazonas e 384 em Roraima), incluindo duas mortes.

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz, há casos confirmados em Rondônia, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, sendo que a OMS já emitiu alerta sobre a volta do sarampo em onze países das Américas: Brasil, Argentina, Equador, Canadá, Estados Unidos, Guatemala, México, Peru, Antígua e Barbuda, Colômbia e Venezuela.

E não é só nas Américas – em 2017, a Europa registrou mais de 21 mil casos de sarampo, com 35 mortes, um aumento de quase 400% nos casos em relação ao ano anterior.

2 Comentários

Deixe uma resposta