Bragança Paulista, não tem até o momento, nenhum caso confirmado de H1N1. Segundo dados, da Secretaria Municipal de Saúde, até o momento, existem 37 casos suspeitos sendo que 23  dos pacientes são do sexo masculino e 14 do sexo feminino.

Ainda segundo dados da Divisão de Vigilância Epidemiológica, dos 37 pacientes 11 têm entre 0 e 19 anos; 4  têm entre 20 e 39 anos, 10 pacientes têm entre 40 e 59 anos e 12 pacientes têm 60 anos ou mais. Não há no município casos confirmados e nem óbitos relacionados à doença.

Em Bragança Paulista a campanha de vacinação não foi antecipada como aconteceu na capital ou em cidade como Extrema, por exemplo, e terá início no dia 30 de abril.

Esta é a 18ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe e deve acontecer entre 30 de abril a 20 de maio.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina é segura e é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

A vacinação nos postos de saúde é gratuita para o seguinte público:

  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos
  • Gestantes;
  • Puérperas;
  • Trabalhador de saúde;
  • Povos indígenas;
  • Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;
  • Pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais (doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias).

Com a antecipação de casos de influenza em todo o Estado e o registro de mortes, nos últimos 15 dias o que vimos em Bragança Paulista foi uma corrida nas clínicas particulares pela vacina, que custa em média R$ 120,00.

Se você não faz parte do grupo de risco e optar por tomar a vacina particular, vale ligar nos consultórios ates para se informar e assim evitar as filas.