Pizza é uma delícia não é mesmo? De que sabor você prefere? Calabresa? Portuguesa? Frango?

Nós, sinceramente, esperamos que não tenhamos que escolher dezenove sabores nos próximos meses.

Você deve estar se perguntando qual o motivo do nosso medo de que tudo acabe em pizza, não é mesmo?

Pois bem, estão em pauta na Câmara Municipal de Bragança Paulista pelo menos, três assuntos polêmicos e que devem ser abordados nos próximos dias com cautela.

Um deles são as denúncias contra a Associação Brasileira de Beneficência Comunitária (ABBC), responsável pela gestão da saúde no município.

As denúncias são sérias: compras irregulares, salários irregulares, atrasos no pagamento de impostos.

Os vereadores diante de tudo que ouviram dos funcionários da Câmara, que analisaram os relatórios, convocaram para o dia 29 de junho as secretarias de Saúde e de Finanças para esclarecer os fatos.

Até lá, só resta aguardar. A ABBC não presta informações à Câmara Municipal.  A Prefeitura questionada sobre o assunto, desde quando o tema veio a público na semana passada, por enquanto, não se manifestou.

Entre as perguntas que ficam sobre o assunto é se a Prefeitura já tinha conhecimento do relatório da Comissão de Monitoramento do contrato?  Se tinha, desde quando sabia e quais medidas foram tomadas?

A entidade continua cometendo irregularidades? E o dinheiro que os diretores receberam a mais, eles devolveram para os cofres públicos? Os impostos estão sendo pagos em dia este ano?

Vamos esperar e ficar de olho.

O segundo assunto polêmico e delicado é a CEI das Pedaladas, aberta para investigar possíveis irregularidades cometidas pelo prefeito Fernão Dias da Silva Leme, em 2015.

Os vereadores abriram a CEI e em seguida a paralisaram por 40 dias, pois optaram por contratar uma empresa para analisar os documentos e assessorá-los.

Uma denúncia contra a licitação foi protocolada no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Como a denúncia não foi apreciada, a CEI foi paralisada por mais 60 dias ou até que o TCE se manifeste e a empresa  de assessoria técnica seja contratada.

Se demorar 60 dias, a apuração começará só em agosto, quando as convenções para as eleições já terão ocorrido.

Será que terão tempo de analisar tudo ainda este ano? Abriram a CEI apenas para criar um fato político?

E para finalizar, outro assunto delicado que os vereadores terão que apreciar pela frente é o pedido de cassação do titulo de cidadão bragantino de Rodrigo Morales, que teve seu nome envolvido nos escândalos da Lava Jato.

Os vereadores arquivaram um pedido de cassação feito de forma anônima, mas agora um novo pedido foi protocolado na Câmara Municipal.

Se ocorrer a cassação, abrirá um precedente para que outros pedidos sejam protocolados no mesmo sentido.

Será que os vereadores terão coragem de mexer nestes vespeiros? Ou tudo vai terminar em pizza?

Geralmente quando as eleições começam os vereadores aceleram as reuniões das comissões e até as sessões são mais rápidas, muitos até faltam.

Quase todos, já estão em pré-campanha, pelo que observamos em suas páginas pessoais no facebook. Será que terão tempo e interesse para analisar estas questões, ou estarão mais preocupados em angariar votos em busca de um mandato de mais quatro anos, com um salário cerca de 70% maior?

Vamos aguardar…

E se quiser, já vai escolhendo ai os sabores das pizzas.