Por Carla Fagundes

Se com a eleição para o Executivo, não houveram surpresas em Bragança Paulista, com o Legislativo foi diferente. Mais da metade dos atuais vereadores não estarão na Câmara Municipal nos próximos quatro anos. Nomes como Ditinho Bueno do Asilo e Cláudio Moreno foram rejeitados pela população.

OS MAIS VOTADOS

José Gabriel (DEM) foi o que obteve mais votos, ele teve 1.805 eleitores. Já Fabiana Alessandri (MDB), que já teve José Gabriel como assessor no passado, recebeu 1.678 votos sendo a segunda mais votada.
Retornando para o Legislativo após ser secretária municipal na administração do prefeito Jesus Chedid, Gi Borboleta (DEM) recebeu 1.384 votos.
Dentre os novos nomes que ocuparão a Câmara em 2021, está Fábio Nascimento (Republicanos), com 1.255 votos, o quarto mais votado, entre os eleitos.
O vereador Quique Brown (PV) também foi um dos reeleitos com uma campanha 100% digital, recebendo 1.243 votos e figura entre os mais votados.

VEREADORES COM PRIMEIRO MANDATO

Dos onze candidatos eleitos que não estavam na atual Câmara, nove deles entraram para a vereança pela primeira vez. São eles: Fábio Nascimento (Republicanos), Camila Marino da Saúde (MDB), Juninho Boi (PSB), Missionária Pokaia (Patriota), Claudio Coxinha (PTB), Ismael Brasilino (PSD), Eduardo Simões (Patriota), Marcos Roberto (Podemos) e Marco Leitão (DEM).

REELEITOS

Apenas oito vereadores conseguiram ser reeleitos e inclusive alguns deles com menos votos que os novos. São eles: José Gabriel (DEM), Fabiana Alessandri (MDB), Tião do Fórum (DEM), Quique Brown (PV), Rita Leme (DEM), Paulo Mário (PL), Natanael Ananias (PSC) e Marcolino (PSDB)

NÃO FORAM REELEITOS

Alguns nomes populares ficaram de fora do próximo mandato: Antônio Bugalu (MDB), Sidiney Guedes (Patriota), Ditinho Bueno do Asilo (PSC), Dr. Cláudio (Patriota), Cláudio Moreno (DEM), João Carlos Carvalho (Podemos), Marcus Valle (PV) Mário B. Silva (DEM) e Moufid Doher (Podemos).

Vale lembrar que a vereadora Beth Chedid não tentou a reeleição para apoiar a vereadora Gi Borboleta e o vereador Basílio Zecchini se candidatou ao cargo de prefeito ficando em segundo lugar.

Dos novos vereadores eleitos, dois já tiveram passagem pelo Legislativo antes: Miguel Lopes (PTB) e Gi Borboleta (DEM).

BANCADAS PARTIDÁRIAS

O Democratas será o partido com mais cadeiras no Legislativo, cinco no total. O MDB, o Patriotas e o PTB terão duas vagas cada. Os demais partidos, PL, Podemos, PSB, PSC, PSD, PSDB, PV e Republicanos terão um vereador cada.
Destes 19 eleitos, 13 foram eleitos por partidos que apoiaram Jesus Chedid e outros 6, por partidos de oposição. Portanto, antes mesmo de assumir o novo mandato e ocorrerem as negociações políticas, o Grupo Chedid já tem ampla maioria na Câmara 2021.

BEM VOTADOS FICAM DE FORA

Duas candidaturas receberam expressiva votação e ficaram de fora por seus partidos não atingirem o quociente eleitoral. A Chapa Coletiva, formada pela candidata Dani Russo e pelas co-candidatas Thay Godoy e Sol Correia, tiveram 1.642 votos, mas o PSOL não atingiu o quociente aproximado de 3.300 votos.
O mesmo ocorreu com o PDT, do candidato Bruno Leme, que teve 1.282 votos.
A Chapa Coletiva foi a terceira candidatura mais votada ao Legislativo e Bruno Leme quinto candidato a vereador mais bem posicionado.

Deixe uma resposta