Está marcada para sexta-feira, dia 12, as 9h30, uma reunião da Comissão Especial de Inquérito, a chamada CEI das Pedalas, que tem como objetivo investigar se Fernão Dias cometeu ou não pedaladas. A CEI das Pedaladas foi aberta após denúncias apresentadas pelo vereador Paulo Mário. Na época, da abertura da CEI, o vereador justificou que sua “denúncia está baseada em um tripé: o cancelamento de empenhos por parte do Executivo, a quebra de contratos e as ‘pedaladas fiscais’ (mascaramento de informações)”.

O vereador questiona porque em novembro o déficit nas contas públicas era de R$ 36 milhões e em dezembro este valor caiu para R$ 9,4 milhões, aumentando em janeiro para R$ 88 milhões.

“No mês de dezembro, entendo, e é isso que a comissão irá analisar, que só houve empenho da folha de pagamento, os demais foram todos cancelados e refeitos em janeiro. O cancelamento de empenhos de obras em andamento é quebra de contrato. Esta é minha análise”, defendeu o vereador ao apresentar suas justificativas na época.

A CEI das Pedaladas é composta pelos vereadores José Gabriel Cintra Gonçalves (presidente), Miguel Lopes (relator), Antonio Bugalu, Natanael Ananias e Rita Valle.

A CEI foi suspensa primeiro para aguardar  contratação de empresa especializada na prestação de serviços técnicos de Auditoria e Perícia em Contabilidade Pública e Normas de Direito Financeiro, que tinha como objetivo assessorar Comissão Especial de Inquérito CEI das Pedaladas.

Depois foi suspensa, porque o  Tribunal de Contas do Estado de São Paulo paralisou a licitação por causa de denuncias de possíveis irregularidades.

Parte da denúncia foi acatada pelo Tribunal de Contas e a pergunta que fica agora é se na reunião de sexta-feira, dia 12, os vereadores irão optar por corrigir o edital e continuar com a comissão suspensa a fim de aguardar a contratação da empresa. Ou então, decidir que farão o trabalho sem a contratação de assessoria.