O clima continua tenso em Bragança Paulista nos meios policiais após a morte de um jovem de 16 anos, durante um confronto com a Polícia Militar, ocorrida no domingo, 22.

O garoto foi velado e sepultado na manhã de terça-feira, 23, em Pinhalzinho. O jovem que morreu teria segundo os registros policiais, partido para cima de um PM com uma faca, sendo morto, após atingir o PM no braço com uma faca. A investigação do caso está sob os cuidados da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Populares se revoltaram com a ação da PM que teve que pedir reforço para o Batalhão de Ações Especiais (BAEP), de Campinas.

Um guarda civil municipal e sua família tiveram que deixar a residência na mesma noite, depois que a casa foi alvejada por pelo menos 7 tiros. Um dos tiros atingiu a janela do quarto do filho do guarda. Por sorte, ninguém se feriu, mas o clima foi de muita tensão também na segunda-feira, 23.

A Polícia Militar e a Guarda Civil intensificaram o patrulhamento no bairro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reportagem do jornal on line Bragança Em Pauta, recebeu informações de que guardas municipais e policiais militares têm recebido ameaças de morte de traficantes que atuam na cidade.

Não bastasse o clima já tenso, na noite de terça-feira, 24, um vídeo começou a circular pela internet, mostrando uma viatura da PM, em ronda pela Rua São João Batista, na Vila Santa Libânia. Os policias diminuem a velocidade e jogam um artefato explosivo na frente de uma residência.

Câmeras de segurança gravaram a ação dos policiais, na madrugada de terça-feira, 24, por volta das 3h22 e foram postadas nas redes sociais.

Nas publicações, familiares do morador da residência onde a bomba foi jogada reclamam que havia no local, duas crianças dormindo, que acordaram assustadas e pedem atitude das autoridades.

“Jamais passou pela cabeça que pudesse ser eles ‘’ os mocinhos” assim chamados pela sociedade”, diz postagem feita no facebook.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A reportagem procurou o comando do 34º Batalhão da Polícia Militar do Interior para saber, mais informações sobre o conteúdo das imagens.

Em nota, a Polícia Militar esclareceu que a equipe foi identificada e “o devido procedimento apuratório foi instaurado.

A PM informou ainda que “a conduta dos policiais militares envolvidos não foi pautada pelos procedimentos operacionais ensinados pela Instituição, e por essa razão, as medidas administrativas pertinentes foram adotadas no caso em questão para apurar este desvio.”

Assinada pelo setor de Comunicação Social do 34º Batalhão da Polícia Militar do Interior, a nota diz ainda que a “instituição não compactua com os desvios de conduta de sua tropa, estando sempre compromissada com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana”.
Questionamos se o fato tem ligação com a ocorrência de domingo, e a PM informou que só será possível apurar após o término do procedimento investigatório.

Confira o vídeo:

Deixe uma resposta