Clima tenso entre vereadores

O clima tenso entre os vereadores marcou a sessão da Câmara Municipal de terça-feira, 17, em Bragança Paulista.  As discussões em plenário foram inclusive suspensas para que os vereadores pudessem conversar nos bastidores.

Se 50% da população de Bragança Paulista sequer fez o cadastramento biométrico que permite votar nas próximas eleições, no Legislativo o clima já é de disputa eleitoral. A cada sessão isto, aliás, fica mais claro.

O primeiro embate entre situação e oposição aconteceu quando o vereador Basílio Zechinni Filho disse que não concordava mais com o fato do vereador Paulo Mário ser sempre o último a usar a palavra. Basílio alegou que nem sempre o líder do prefeito traz respostas para todos os vereadores e que a medida privilegia a administração.

Os vereadores ficaram 40 minutos discutindo o assunto até que a presidente da casa Beth Chedid afirmou que avaliará o assunto mas que naquela oportunidade Paulo Mário seria sim o último a falar.

Clima esquentou

Após a discussão teve início então a fala dos vereadores. Quique Brown, entre outras coisas,  cobrou dos vereadores de situação que assinem a abertura de Comissões Especiais de Inquéritos (CEIS) pois fiscalizar é um dos papéis dos vereadores.

Sidney Guedes subiu então na Tribuna Livre na sequência. Ele aumentou o tom contra Quique Brown. “Eu não sou homem de receber ameaças de ninguém”, disse ele sobre o fato de Quique ter dito que o prefeito Jesus Chedid pega pesado com os vereadores de situação durante reuniões da base aliada.

Alterado, Sidiney Guedes foi além e disse que quem tem o rabo preso com o ex-prefeito Fernão Dias é o vereador Quique Brown. “O senhor é um mau educado. O senhor não foi educado pelo seus pais direito”, disse.

“Precisamos mudar. Se esta casa não tem seriedade, vamos ter seriedade onde?”, questionou. Para finalizar, totalmente alterado, Sidiney Guedes ainda mandou o colega ir trabalhar pela população.

Quando acabou sua fala na tribuna, mesmo longe dos microfones o bate boca continuou. A presidente Beth Chedid ainda tentou segurá-lo por duas vezes, tentando continuar a sessão, mas não conseguiu.

Sessão suspensa

Como a discussão entre Quique Brown e Sidney Guedes não parava ela suspendeu a sessão. Longe das câmeras os vereadores conversaram e depois de alguns minutos a sessão foi retomada.

Quando isto aconteceu Basílio Zechinni Filho voltou a falar. Ele cobrou a falta de transparência da Prefeitura na resposta de pedidos de informação.  Foi então que o vereador Cláudio Moreno rebateu sua fala cobrando da presidente Beth Chedid que faça valer o regimento da Câmara Municipal.

Ele disse ainda que o que aconteceu durante a sessão macula mais uma vez a imagem de toda a Câmara Municipal, que segundo ele já não está boa.

A presidente da casa Beth Chedid usou seu tempo para voltar a falar sobre a decisão de deixar ou não o vereador Paulo Mário falar ou não por último. Ela chamou a discussão de falta de bom senso já que após o uso da palavra de Paulo Mário, os vereadores podem ainda usar o Pequeno Expediente e os Assuntos de Interesse Pessoal para se manifestar depois dele.

A versão do líder

Paulo Mário ao usar o seu tempo disse que não leva vantagem alguma em ser o último a falar. Ao contrário, disse que sendo líder, muitas vezes acaba abdicando de falar do seu trabalho para falar do Executivo.

Disse ainda que não ofende e não é mal educado com ninguém. “Tudo que foi gasto de energia aqui deveria ser gasto com o Plano Diretor. O que nós produzimos com esta discussão? Absolutamente nada. Qual o problema de falar por último? Não levo vantagem nenhuma. Dou as respostas na hora que têm que ser dadas e não na hora que querem que eu dê. Não sou funcionário de nenhum vereador, ainda mais da oposição”, disse.

Basílio Zechinni Filho ainda voltou a falar sobre o que ele considera privilégios do líder Paulo Mário, dizendo que há dois pesos e duas medidas na sessão. Reclamou de ser interrompido quando ultrapassa o tempo limite de fala e que isto não ocorre com Paulo Mário.  Também acrescentou de materiais como fotos e vídeos que são exibidos na sessão e que têm prazo para exibição, mas que Paulo Mário seria beneficiado e exibe materiais fora do prazo de inscrição.

A sessão terminou como sempre com a oração da paz. Mesmo durante a leitura da oração feita pelo vereador Natanael Ananias,  quem viu a sessão pela internet pode ouvir nos fundos os vereadores ainda debatendo. A presidente da Casa chegou a apertar a campainha para pedir silêncio.

 

 

 

 

Deixe uma resposta