A Polícia Civil prendeu um homem, de 39 anos, acusado de “sequestrar” e manter em cárcere privado diversos pacientes em uma clínica denominada “Resgatando Vidas para o Futuro”, na cidade de Tuiuti.

Conforme o apurado pelo Jornal Bragança Em Pauta, os policiais foram acionados a comparecer no local durante uma visita da Promotoria ao estabelecimento.

O local é alvo de um inquérito civil já que havia denúncia de pacientes internados involuntariamente, em desacordo com as leis, que determinam que todas as internações deverão ser informadas no máximo em 72 horas ao Ministério Público.

Durante a fiscalização ficou apurado que alguns pacientes foram levados para o local amarrados em serviço de transporte conhecidos como “resgate. Eles também teriam sido mantidos em quarto sob medicamentos (dopados) e
mediante vigilância sem poderem sair ou mesmo conversar.  A polícia colheu também relatos de que estes pacientes foram obrigados a assinar o documento “termo de internação voluntária”.

Relato dos internos

Os internos, que vieram de várias cidades do país, relataram ainda que no período noturno todos os quartos eram trancados com cadeados pelo lado de fora, sendo abertos apenas as 8h do dia seguinte.

Além do MP e da Polícia Civil também compareceram na clínica integrantes da Vigilância Sanitária de Tuiuti. Na oportunidade, eles encontraram medicamentos sem receita médica. Os mesmos, aliás, foram apreendidos.

Foram apreendidos também, os documentos denominados “termos de internação voluntária”.

Os internos identificados como “involuntários” foram levados até a delegacia e confirmaram que eram mantidos no local  contra a vontade. Eles relataram ocorrências de maus-tratos e violência psicológica.

Diante disto, seu familiares foram contactados para que providenciassem o retorno dos mesmos aos lares.

A perícia também esteve na clínica.

Se você quiser ficar sempre por dentro das últimas e principais notícias policiais de Bragança Paulista, Atibaia e região, aliás, é fácil. Acesse nossa aba especial no site, ou nossa página de noticias policias no face:

 

 

Deixe uma resposta