Desde janeiro, que o Bragança Em Pauta, tem notado, e até comentou com o prefeito Jesus Chedid, durante reunião, que o jornal Imprensa Oficial na maioria dos dias, têm sido publicado não pela manhã, como deveria, mas somente no final da tarde ou até mesmos a noite.

Em muitos casos, chama inclusive atenção as datas das portarias, porque muitas valem a partir daquele dia, porém só são divulgadas a noite, não dando assim transparência aos atos públicos.

Não bastasse o horário da publicação dos atos oficiais na edição do dia 26 de setembro, do Imprensa Oficial, chama atenção a portaria nº 7660, com data de 25 de setembro.

A portaria dispõe sobre a designação de Instrutores para ministrar Cursos de Formação e Requalificação para os integrantes da Guarda Civil Municipal e dá outras providências.

COMO É QUE É?

Isto mesmo, a portaria, assinada por Amauri Sodré, que está prefeito em exercício, designa os instrutores  para ministrarem Cursos de Formação e Requalificação para os integrantes da Guarda Civil Municipal.

Acontece, que no dia 18 de setembro, a Prefeitura, através da Divisão de Imprensa, já havia noticiado que estava dando início a um curso de formação de 12 novos guardas municipais, que passaram em concurso público realizado na administração de Fernão Dias e foram contratados por Jesus Chedid após determinação da Justiça, já que o o concurso caducou, sem a a administração chamar os 40 aprovados.

A pergunta que fica é: como pode uma portaria normatizar um curso tão importante, uma semana depois de seu início? Qual o conteúdo deste curso?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



A reportagem do Bragança Em Pauta, já havia questionado à administração e não obteve retorno,  não só sobre o conteúdo deste curso, mas também sobre a carga horária, os instrutores, os locais de treinamento e vale aqui ressaltar que não obtivemos nenhum retorno, nem por parte da Divisão de Imprensa, nem por parte da Secretaria de Segurança e Defesa Civil.

Importante lembrar que a Guarda Civil Municipal de Bragança Paulista é armada, ou seja, a instituição possui um convênio com a Polícia Federal para que isto seja possível e que algumas exigências são feitas, não só pela Polícia Federal mas também pela Secretaria Nacional de Segurança Pública na formação dos guardas.

Nas duas administrações anteriores não só para formação de guardas, mas também para requalificação dos profissionais de segurança pública municipais, foram contratadas empresas para tal curso, já que além de aulas teóricas, é necessário por exemplo, aulas práticas de tiro.

O último curso de tiros por exemplo, aconteceu no renomado  CTT- Centro de Treinamento Tático em Ribeirão Pires, onde há treinamentos, por exemplo, da Polícia Civil.

Além de guardas, segundo a portaria, também são instrutores, policiais militares e civis, bombeiros e convidados. As aulas que, segundo o divulgado pela Prefeitura, já estavam acontecendo desde o dia 18 de setembro, englobam temas como: legislação, trânsito, primeiros socorros, direção defensiva, defesa pessoal, ordem unida, procedimentos da Guarda, direitos humanos, rádio comunicação, entre outros.

Os 12 guardas que estão em formação, são considerados guardas-alunos, recebem salário e não podem andar fardados ou armados, até a conclusão do curso.