O ano de 2917 não foi fácil.

Muitos são os desempregados. Muitos são os que tem empego, mas estão com salários e outros benefícios atrasados. Você não quer que o ano de 2018, seja um ano problemático quando o assuntos são suas finanças não é?

O que fazer para começar o ano de 2018 evitando o descontrole de gastos e ter as finanças em dia?

O Bragança Em Pauta, separou dicas de um especialista, que orienta como realizar um planejamento para organizar as contas.

Segundo o professor de Matemática Financeira do curso de Administração da Anhanguera de Pindamonhangaba, Paulo Araújo, o desemprego em alta, a inadimplência em um patamar mais elevado e a perspectiva de uma recuperação em médio prazo não são os melhores cenários para quem quer colocar as finanças pessoais em dia.

Para ele planejar tudo é o caminho mais indicado para começar 2018 com as finanças em dia.

Segundo Paulo Araújo, planejamento é um conjunto de ações coordenadas e orientadas para tornar realidade um objetivo futuro, de forma a possibilitar a tomada de decisões antecipadamente.

Como é possível realizar o plano para começar o ano novo sem dívidas? “Uma dica valiosa é evitar empréstimos de longo prazo e o consumo excessivo durante as festas  Não comprometa seu orçamento”, orienta o especialista.

Grande parte da população deverá levar para 2018 dívidas contraídas em 2017. “O maior problema de tudo isso é que essas dívidas de 2017 serão somadas a novas despesas como o IPVA, IPTU, e outros impostos e despesas comuns do começo do ano, e, tudo isso poderá acarretar em um caminho perigoso fundado em dívidas”, alerta o professor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O docente da Anhanguera indica que uma solução é, de início, envolver todos da família para que tomem ciência da atual situação financeira em que se encontram. “Um dos maiores resultados do acúmulo de dívidas é não saber quanto se ganha e muito menos quanto se gasta”, afirma. “Para isso, é necessário elaborar uma planilha e realizar uma análise financeira a fim de verificar o que poderá ser reduzido ou mesmo eliminado, buscando um equilíbrio financeiro”, explica Paulo.

E ainda, “com os recursos recebidos no final do ano, como o 13º salário e férias, procure priorizar as dívidas com juros maiores (cartão de crédito, cheque especial), eliminando-os com pagamento à vista por meio de empréstimo tomado com outra fonte de recursos de juros mais baixos, reduzindo o montante a ser pago mensalmente”, aconselha. Para o especialista, sem disciplina é impossível seguir adiante no planejamento e atingir sucesso. “A organização das finanças deve ser realizada buscando uma melhor qualidade de vida, alcançando os objetivos, e, principalmente, curtindo momentos especiais com as pessoas que amamos. Tenha isso em mente!”, finaliza Araújo.

Gostou das dicas?

Bora lá, renegociar suas dívidas  e tentar começar o ano de 2018 com o pé direito?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *