O Conselho Municipal de Turismo, realiza nesta quinta-feira, dia 4, a primeira reunião ordinária do ano.

A reunião acontecerá no Petiscos & Cia,  na Avenida Lindóia nº 561, no Bairro do Matadouro, a partira das 17h30.

Segundo a presidente do COMTUR, Vanessa Nogueira, na oportunidade será debatida a agenda para 2018 e projetos de interesse turístico.

A participação dos conselheiros, é extremamente importante, para análise dos projetos. Vale ressaltar, que a Prefeitura, tem que passar pelo COMTUR, os projetos para que receba verbas do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (DADETUR).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reunião é aberta a interessados na área turística.

O COMTUR de Bragança Paulista, ficou desativado entre 2015 e 2017.

A cidade precisa de um COMTUR funcionando, não só para aprovação ou não dos projetos propostos pelo poder público, mas também para continuar sendo considerada município “estância” e assim continuar recebendo verbas do DADETUR.

O município, para garantir o título de estância, deve inclusive passar por uma avaliação a cada três anos, que conforme o previsto em lei estadual deve acontecer até o mês de abril deste ano.

Para não perder o título  além do COMTUR a cidade tem que possuir expressivos atrativos turísticos de uso público e caráter permanente, naturais, culturais ou artificiais, que identifiquem a sua vocação para um ou mais tipos de turismo, seja o Turismo Social; Ecoturismo; Turismo Cultural; Turismo Religioso; Turismo de Estudos e de Intercâmbio; Turismo de Esportes; Turismo de Pesca; Turismo Náutico; Turismo de Aventura; Turismo de Sol e Praia; Turismo de Negócios e Eventos; Turismo Rural; Turismo de Saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



O município tem ainda que possuir meios de hospedagem, serviços de alimentação, serviços de informação e receptivo turísticos bem como dispor de infraestrutura de apoio turístico, como acesso adequado aos atrativos, serviços de transporte, de comunicação, de segurança e de atendimento médico emergencial, bem como sinalização indicativa de atrativos turísticos adequada aos padrões internacionais.

É necessário ainda dispor de infraestrutura básica capaz de atender às populações fixas e flutuantes no que se refere a abastecimento de água potável, sistema de coleta e tratamento de esgotos sanitários e gestão de resíduos sólidos.

Outra exigência é que o município tenha um plano diretor de turismo, aprovado e revisado a cada três anos.

 

 

Deixe uma resposta