Duas pessoas foram presas pela Polícia Civil, acusadas de matar no dia 12 de julho, Maria Cristina Franco Schmidt, que trabalhava para uma tabacaria e distribuía cigarros em Itatiba.A vitima, morava em Bragança Paulista e além de entrega de cigarros,  no final de  semana, trabalhava como palhacinha e recreadora infantil. O crime, na época chocou a cidade.

A prisão foi efetuada pela Polícia Civil de Jundiaí que acredita que o motivo do crime foi a cobrança de uma dívida.

O dono de uma mercearia de Bragança Paulista é o principal acusado de cometer o crime junto com um comparsa.

A mulher teve seu corpo queimado dentro do carro da empresa onde trabalha, na Estrada da Silva, em Morungaba. O carro foi localizado porque saiu da rota estipulada e possuía GPS. Quando a polícia chegou, o veículo ainda estava em chamas.

O corpo estava praticamente todo carbonizado e levou dias até a liberação do mesmo para que a família pudesse fazer o sepultamento da vítima.

A polícia chegou aos acusados a partir de imagens de câmeras de vigilâncias que possibilitou a identificação do carro do dono da mercearia, que está temporariamente preso e teria uma dívida de R$2 mil com a vítima.

O outro suspeito detido possui inclusive queimaduras no corpo.

Deixe uma resposta