Pé de maconha

Na tarde de segunda-feira, dia 2, policiais Civis da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) prenderam dois funcionários de uma fábrica de sementes, acusados de plantar maconha no Campo Novo e vendê-las.

De acordo com informações da Polícia Civil,  Marcelo Aparecido Alves de Oliveira, de 42 anos e Paulo Henrique de Oliveira, de 31 anos, semeavam a maconha para venda, utilizando-se da estufa da empresa, sem o conhecimento e autorização dos patrões.

Assim que foram detidos, Marcelo confessou a prática criminosa, esclarecendo que auxiliava Paulo no plantio das sementes. Segundo ele, quando as sementes brotavam e viravam mudas, Paulo as levava para sua residência, onde as cultivava até o momento da venda.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Segundo o relatado por Marcelos,  o dinheiro angariado com a venda era dividido entre os dois.

Paulo, por sua vez, ainda tentou negar os fatos, mas os policiais encontraram na estufa sementes plantadas e algumas mudas pequenas de maconha.

Ele ainda tentou arrancar e destruir as mudas, mas foi contido e acabou confessando que em sua residência tinha dois vasos de maconha, prontos para venda.

Em seu bolso os policiais encontraram um tubo plástico contendo diversas sementes de maconha. Na estufa foram encontrados duas bandejas, estando uma delas com sementes de maconha e outra com 88 mudas e algumas sementes da droga.

Já na  residência de Paulo foram encontrados os dois vasos com plantas grandes de maconha, prontas para venda, além de 20 ampolas de anabolizantes, que ele alegou serem para seu consumo.

Diante dos fatos, os dois foram levados para a delegacia, autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico e apresentados em audiência de custódia.

As 2 plantas e as 88 mudas de maconha, pesaram 605,0 gramas.