Em menos de uma semana duas denúncias foram feitas pelo jornal o Estado de São Paulo, sobre o deputado Edmir Chedid e as suas contratações no seu gabinete.

A primeira denúncia foi publicada no final de semana, quando o jornal divulgou que Edmir Chedid abriga na Assembléia Legislativa, o servidor comissionado André Pinto Nogueira que foi condenado pela Justiça por ter recebido  R$ 858 mil pelo fornecimento de capacetes e escudos que deveriam ser entregues para a 11.ª Brigada de Infantaria Leve, em Campinas, em 2004, e que não aconteceu.

alesp-analucia

 

Nesta quarta-feira, dia 13, foi a vez do jornal destacar que o parlamentar mantém lotada em seu
gabinete uma funcionária fantasma.

 

 

 

Ana Gritti, além de ser funcionária de Edmir Chedid desde outubro de 2015 cumpre uma segunda carga horária semanal de 44 horas em uma escola particular do município de Serra Negra.

Na Assembléia, seu contrato é de 40 horas semanais e ela ganha, além do salário contratual de R$ 12,8 mil, uma  gratificação especial, que é concedida geralmente, aos funcionários, pelo bom desempenho no trabalho. Com esta gratificação seus rendimentos chegam, segundo a reportagem a R$ 17.555,37 por mês.

Com os dois empregos, teoricamente, Ana Lúcia teria que cumprir uma carga horário de aproximadamente 16 horas por dia.

Segundo o publicado pelo Estadão,  Ana Lúcia Gritti, negou que era funcionária tanto de Edmir como da escola particular, afirmando ser apenas dona de casa. Já em suas redes sociais, ele se identifica como professora.

Ana Lúcia é mulher de Alexandre Gritti, ex-vereador de Monte Alegre do Sul e a escola onde a mesma trabalha em Serra Negra, informou que ela se encontra de férias.

Em nota, a assessoria de Edmir Chedid justificou que os comissionados que ocupam o cargo de Assessor Especial Parlamentar possuem como função  coordenar as atividades do gabinete do deputado Edmir Chedid ou até mesmo de seu gabinete estendido; bem como representar o parlamentar perante as autoridades e demais representantes da sociedade civil. E que a referida funcionária se reporta ao gabinete estendido aqui de Bragança Paulista e representa o deputado  em Monte Alegre do Sul.

Matéria completa do Estadão no link  http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/denuncia-indica-funcionaria-fantasma-do-deputado-chedid/