Na manhã desta sexta-feira, dia 14, aconteceu na Câmara Municipal de Bragança Paulista, uma Audiência Pública da Comissão Especial da Câmara dos Deputados para debater a unificação das Polícias Civil e Militar. O evento, que tem suma importância no cenário federal, foi praticamente ignorado pelas autoridades locais.

Além da presença do deputado federal Edson Moreira, delegado que comandou o caso que culminou com a prisão do goleiro Bruno, por causa da morte de Elisa Samudio, participaram do evento apenas três vereadores: Beth Chedid, Moufid Doher, e Antonio Bugalu, o delegado Sandro Montanari, o secretário de Segurança Dorival Francisco Bertin e o ex-secretário de Segurança, Sérgio Pereira da Silva.

A Polícia Militar não foi representada oficialmente no evento que tem como objetivo estudar a unificação da Polícia Civil e Militar como alternativa para o fortalecimento da Segurança Pública no Brasil.

Audiências como esta já aconteceram em São Paulo e  deverão ser realizadas em municípios como Três Corações (MG), Chapecó (SC), e Aracajú (SE).

 

Na oportunidade, os presentes se manifestaram a favor da unificação.

O presidente da comissão, deputado Edson Moreira, ressaltou que quando o assunto é segurança pública é necessário deixar de pensar nos interesses e vaidades pessoais. Acrescentou que é claro que respeita o trabalho  e a tradição da Polícia Militar, mas que é preciso quebrar a resistências dos policiais e unificar as polícias para que assim possa haver mais investimentos e consequentemente resultados melhores.

O delegado Sandro Montanari, ressaltou que em Bragança Paulista já é feito um trabalho integrado de segurança, mas que isto precisa avançar par todo país e que os envolvidos precisam falar a mesma língua e ter o mesmo objetivo, pois só assim, conseguirão melhores resultados contra a criminalidade.