A Faros d’Ajuda, entidade que cuida do Canil Municipal e atua na castração e doação de cães e gatos em Bragança Paulista, anunciou na quarta-feira, 27, em sua página no facebook, que encerrará as atividades no Canil Municipal no dia 26 de agosto e fala em perseguição.

Em um comunicado,  Márcia Davanso, responsável pela ONG, explica que  empregou cada ação e cada centavo particular em prol dos animais de rua desta cidade e que vem sendo alvo de difamações.

“Ano a ano, mês a mês, a Faros d’Ajuda contribuiu ativamente nas despesas do abrigo, com recursos que levantou com seu próprio trabalho e com doação de amigos e voluntários. Mas, agora, já não temos mais condições financeiras de manter as despesas do local, que consome cerca de 40 a 45 mil/mês, se quisermos fazer um trabalho decente e diferenciado para os 450 animais que mantemos no local”, diz Márcia no post que já teve mais de 400 compartilhamentos nas redes socias.

No comunicado, Márcia Davanso afirma que desde o início de 2017 tem sido alvo de calúnia e difamação ‘por parte de antiga protetora desta cidade que vem se valendo de seu sobrenome político para nos tirar do local e reassumir suas antigas atividades de proteção no canil municipal.”

A ex-protetora, a que ela se refere é Antonina Chedid, irmã do prefeito Jesus Chedid, que durante anos atuou com animais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



“Recebemos inúmeras inspeções onde fomos acusados de maus tratos de animais, de realização de cirurgias grosseiras e improbidade administrativa. Todos os laudos de autoridades que visitaram o abrigo para investigar as denúncias (Vigilância Sanitária, CRMV, Polícia Militar e outros) emitiram laudos positivos em nosso favor, nunca constatando maus tratos de qualquer natureza. Em nosso favor, a Promotoria Pública de Bragança Paulista arquivou denúncia da protetora relativa a desvio de dinheiro, pois apresentamos todas as prestações de contas com aprovação do Tribunal de Contas e balanços financeiros publicados em jornal. Ate mesmo por realizar bingo para arrecadar fundos fomos alvo de boletim de ocorrência”, desabada Márcia Davanso, em nota.

A protetora de animais ressaltou ainda que mais de 15 mil animais passaram pela Faros D´Ajuda nos 13 anos de trabalho. “Castramos mais de 13 mil animais e doamos mais de 10 mil. Também fomos a diferença para centenas de pessoas que buscaram (e ainda buscam) atendimento veterinário gratuito para seus animais na porta do abrigo. Construímos 41 canis no local, uma clínica equipada e um ParCão onde todos os dias temos a alegria de soltar os cães e vê-los correndo”, disse.

Márcia Davanso, termina a nota dizendo: “Esgotamos nossas forças e nossos recursos financeiros. Por isso, pedimos desculpas a todos e a cada um daqueles focinhos pela nossa incapacidade de continuar, mas sabendo que estarão em boas mãos”.

O assunto foi tema de reunião entre o secretário Municipal de Meio Ambiente, Alexandro Morais e os vereadore Dr. Claudio, Sidiney Guedes e Basilio Zecchini na manhã desta quarta-feira, 28.

“É um assunto que deve ser solucionado o mais rápido possível, pois é um serviço de saúde pública, que zela pelo bem estar animal. O trabalho realizado tem o respaldo da população pela qualidade do atendimento e a interrupção trará prejuízos a todos”, destacou o vereador Dr. Claudio.

Durante a reunião com os vereadores, Alexandro Morais afirmou ter recebido a notícia de interrupção dos trabalhos com surpresa, já que em reunião feita dias antes, Márcia Davanso tratou de outros assuntos relacionados à atuação da ONG, sem qualquer indício do desejo de cessar o trabalho.

Aos vereadores, o secretário também informou que já consultou o Departamento Jurídico da Prefeitura e que é interesse da Administração renovar o contrato com a Faros d’Ajuda.

Os vereadores informaram também que tinham agendado uma reunião com Márcia Davanso também para hoje, 28, mas a presidente da ONG,  Márcia Davanso,  cancelou o encontro por causa de uma consulta médica.