Foto: Tamara Gigliotti

O FESTIJANDA – I Ciclo de Compositoras abre inscrições para compositoras das seguintes cidades: Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Piracaia, Joanópolis, Igaratá, Nazaré Paulista, Bragança Paulista, Franco da Rocha, Mairiporã (Terra Preta) e Francisco Morato.

O festival é destinado para mulheres compositoras de todas idades e cada compositora poderá inscrever até duas canções inéditas, escritas sozinhas ou em parceria (a parceria deve ser também com outra mulher).

No ato da inscrição as compositoras deverão apresentar um vídeo para cada canção. As inscrições são gratuitas e serão realizadas exclusivamente no site do FESTIJANDA, no link: www.festijanda.saraudajandyra.com.br até o dia 25 de fevereiro.

O projeto foi contemplado no Programa de Ação Cultural (ProAC Expresso LAB 40) – Lei Aldir Blanc – Governo do Estado de SP – Governo Federal.

As vencedoras

Ao todo, serão selecionadas 24 canções, cujas compositoras receberão um prêmio estímulo. Dessas 24 canções, 12 serão escolhidas e premiadas pelo Júri Técnico e uma premiada por voto popular. Todas as premiações serão em dinheiro, além de outras ações artístico-formativas.

As 24 compositoras que tiverem suas canções selecionadas participarão de três encontros online com as compositoras brasileiras Cátia de França, Socorro Lira e Lucina, que trarão reflexões sobre os trabalhos e os caminhos trilhados em suas trajetórias profissionais.

O resultado das canções escolhidas será divulgado no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

O encontro com as compositoras será nos dias 12, 13 e 14 de março, e as apresentações das 24 selecionadas acontecerão nos dias 13 e 14 de março. Todos os eventos serão online. As gravações das músicas acontecem nos dias 20 e 21 de março. A exibição do show final online será nos dias 27 e 28 de março.

Como surgiu o FESTIJANDA?

O movimento que gerou o FESTIJANDA – I Ciclo de Compositoras, nasceu das ações realizadas pelo Sarau da Jandyra, da cidade de Atibaia-SP. Foram 14 edições do sarau, em espaços culturais independentes e escolas públicas, com mais de uma centena de mulheres, de todas as faixas etárias e diversas etnias.

O sarau teve início em 2017, co-produziu e integrou a programação de um festival internacional de teatro, recebendo artistas do Chile e Uruguai. Em 2018, intensificou sua atuação pela representatividade e as diversas “mulheridades”, promovendo ações de políticas públicas pelos direitos da mulher e pelo patrimônio histórico da cidade: cortejos e rodas musicais que culminam na reabertura da Casa da Cultura Jandyra Massoni, fechada há mais de uma década, e na participação ativa pela preservação do Casarão Julia Ferraz.

Desde o início da pandemia, o Sarau da Jandyra vem realizando ações online, o que possibilitou a participação de muitas Jandyras de outros estados e países (de Sul à Norte, do Chile à Portugal), e realizou a primeira temporada da Refulfeca – diálogo entre duas Jandyras, que conversam sobre a vida e a arte.

INFORME-SE

A melhor arma contra a desinformação  é o jornalismo sério e profissional. Informe-se diariamente, pelo Jornal Em Pauta.

Para ficar sempre por dentro de eventos que acontecem on-line, ou então em Bragança Paulista, Atibaia e região, aliás, é fácil. Acesse:

Quer receber nossas notícias no celular?
É só clicar aqui: WhatsApp do Jornal Em Pauta

Deixe uma resposta