Skip to content

Fundação CASA suspende atividades em Bragança Paulista

Fundação CASA suspende atividades em Bragança Paulista

A Fundação CASA resolveu suspender, temporariamente, as atividades em Bragança Paulista a partir do próximo dia 31. A medida, segundo o Governo do Estado acontece devido à baixa ocupação que vem se registrando nos últimos anos no local.

Em nota, a Fundação CASA explicou que a unidade de Bragança Paulista é gerida de forma compartilhada com a Associação Companheiros do Menor (Comenor).

O termo celebrado com a associação vence no dia 31 de julho e o Estado entendeu que “não se revelou razoável a renovação do contrato, com a manutenção de elevada despesa com 42 servidores efetivos, mais 27 contratados pela entidade para atender somente 18 adolescentes”.

Em nota, a Fundação CASA explicou que a medida tem, portanto o objetivo de gerar a “otimização de recursos materiais, humanos e financeiros devido a grave crise orçamentária provocada pela pandemia da COVID-19.

TRANSFERÊNCIAS

Com o fechamento, os adolescentes que cumprem medida socioeducativa no CASA Bragança Paulista serão transferidos para centros de atendimento da mesma Divisão Regional.

Inaugurado em 2007, durante a administração de João Afonso Sólis (Jango) após muita polêmica. A unidade da  CASA tinha como objetivo manter no município os jovens infratores para que suas famílias não precisassem ir para outras cidades para visitá-los. Além disso, a ideia é que os jovens locais não tivessem contatos com criminosos mais perigosos.

Em nota, a Fundação CASA, explicou ainda que a unidade de Bragança Paulista não atende apenas a cidade mas vários outros municípios do entorno. O centro que possui capacidade de 56 vagas mas atualmente está atendendo apenas 18 adolescentes, sendo que alguns residem em outros municípios.

O Governo do Estado garantiu ainda que não haverá prejuízo aos servidores da Fundação CASA, que “serão realocados em centros preferencialmente próximos às suas residências, de acordo com processo de escolha, possibilitando a todos a manifestação de seu interesse”.

A estrutura deverá ser mantida e poderá ser prontamente reativada se houver aumento de demanda na região.

VENDA DO TERRENO

Vale lembrar, o Governo do Estado de São Paulo pode colocar a venda, em breve, o terreno da antiga fábrica Austin, em Bragança Paulista. A autorização para a alienação onerosa do bem já foi inclusive publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo, no último dia 18 de junho, em um despacho do governador João Doria.

A provável venda pode inviabilizar a construção de 2 mil moradias no local. Em janeiro deste ano, o prefeito Jesus Chedid, que durante a eleição de 2016 prometeu em palanque 3 mil casas populares em seu governo, anunciou durante entrevista a TV Vanguarda, a construção de 2.000 moradias no terreno da Austin.

Segundo avaliações do imóvel o mesmo vale R$ 30.700.000,00.

Quer receber notícias de Bragança Paulista e região no celular?  É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

 

Deixe uma resposta

© 2015-2020 Jornal Bragança Em Pauta - Todos direitos reservados