Na tarde desta quinta-feira, dia 17, o grupo Chedid, convidou a imprensa para evento de filiação do vereador José Gabriel ao Democratas.

Logo depois da cerimonia de filiação, o deputado Edmir Chedid concedeu uma entrevista coletiva e, em seguida, foi anunciado também que o ex-secretário de Cultura e ex-vereador Noy Camilo estava se juntando ao grupo. Noy assinou sua filiação no PMDB.

Os dois agradeceram a acolhida no grupo que, atualmente, conta com o apoio de 13 partidos.

Durante o evento o vereador Gabriel justificou sua ida para o Democratas, criticando a atuação do ex-vereador Gustavo Sartori.

“Conversei com o Gustavo há uns 15 dias e sabia que tinha pouco tempo para filiar gente, pelo menos, para erguer o partido. E eu observei, que nestes 15 dias depois que aconteceu a conversa, que isto não aconteceu. Ao contrário, não conseguimos alavancar. Teve até gente que saiu. Eu me vi sozinho no PSB. Eu e o presidente.  Eu fiquei muito preocupado com o coeficiente eleitoral. Nós já vinhamos conversando com o deputado Edmir e com o Dr. Jesus e eu tentei, até o último instante, ficar no PSB. A minha preocupação maior foi de que o partido não sabia que rumo tomar. Tive várias conversas com o Gustavo e ele não sabe que rumo vai tomar lá na frente. Fui candidato duas vezes pelo PSB e o candidato a majoritário não alavancou. Achei que era o momento de tentar dar um passo certo e achei que a melhor opção era o Democratas”.

O vereador disse ainda que garantiu a Gustavo Sartori, que permaneceria no PSB caso houvesse uma coligação com o Democratas.

“Conversei com o Gustavo. Ele me disse que há possibilidade, mas lá na frente. Ele também me disse que há possibilidade de coligação com outros grupos. Eu não quis correr o risco desta incerteza”.

A reportagem do Bragança Em Pauta, manteve contato com Gustavo Sartori quando deu inicio a série de entrevista com os pré-candidatos, mas ele preferiu não conceder entrevista, alegando que primeiro gostaria de abrir um escritório político na cidade.

Durante o evento, Edmir Chedid fez um balanço das perdas e conquistas do partido e do grupo.

Noy“O grupo ganhou vários pré-candidatos a vereador de expressão. Eu acho que nosso grupo, todos os partidos que estão alinhados, mais ganharam em número de votos do que perderam. Nós perdemos dois vereadores quando o PROS foi criado, mas já repusemos estas perdas. A nossa previsão é que vamos ter um número superior de votos para vereador do que tivemos na eleição passada. Nosso grupo hoje deve ter 280 pré-candidatos a vereador. O grupo cresceu muito e está fortalecido”

O deputado falou também sobre a saída de Renato Frangini do grupo, anunciada após entrevista exclusiva concedida ao Bragança Em Pauta, por Jesus Chedid que afirmou ser pré-candidato a prefeito.

“É com tristeza que a gente viu a saída do Renato Frangini. Ele já esteve do nosso grupo no passado, Foi inclusive líder do prefeito Jesus, na Câmara Municipal. Na época, a Prefeitura acabou por criar a secretária de Esportes, uma secretaria importante, para que um vereador tomasse posse e o Renato Frangini assumisse como vereador. Depois disto, ele deixou o grupo, foi candidato a vereador por um partido que nunca esteve conosco e e que, eu particularmente, não gosto que é o PV, por causa da postura do presidente nacional. Depois ele retornou ao grupo e nem esperava ser candidato a prefeito. Colocou sua pré-candidatura, todo mundo gostou e acabamos indicando para que ele fosse nosso candidato. Ele foi candidato do nosso grupo, cumpriu um bom papel, cumpriu tudo que a equipe de marketing pediu, trabalhou, teve uma boa votação. Agora deixou o grupo e buscou uma nova trincheira dentro do PPS. Que Deus o ajude e ele tenha bastante saúde”.

O deputado disse ainda que caso Frangini resolva voltar a apoiar o grupo Chedid, a decisão de aceitá-lo de volta não cabe só a ele.

“Em um grupo grande como este a gente não decide sozinho. Eu não posso nem responder isto. Teríamos que sentar com os outros presidentes de partido, que tiveram uma certa decepção, e conversar”

Edmir disse ainda que com a saída de Renato Frangini não foram registradas outras desfiliações do Democratas, a não ser do filho de Frangini.

A reportagem do Bragança em Pauta, também manteve contato com Frangini logo após o mesmo ter anunciado que estava deixando o Democratas. Por mensagem, ele disse que entraria em contato posteriormente mas não retornou.

Além da filiação de Noy Camilo no PMDB e  Gabriel no Democratas anunciadas na tarde de quinta-feira, dia 17, o Grupo Chedid anunciará na sexta-feira, dia 18, o apoio de Mário B. Silva e do partido Solidariedade.

As movimentações políticas devem esquentar ainda mais nos próximos dias devido ao prazo final para filiação partidária para quem quer se candidatar nas próximas eleições.  O prazo termina no dia 2 de abril.

Devem ser inclusive anunciadas mudanças no secretariado já que os secretários que querem se candidatar tem que se afastar do cargo.  Entre outros, devem deixar a administração os secretários Arnaldo de Carvalho Pinto (Trânsito e Segurança e Desenvolvimento Econômico), Moufid Doher (Serviços), Marcelo Perrone (Agronegócios) e Márcio Barros (Habitação), que já foram candidatos em eleições anteriores.

Edmir ressaltou também que apesar da campanha ser mais curta, o trabalho nas ruas será intenso e que é justamente com reuniões em bairros que elaborarão o plano de governo. Acrescentou  que a aproximação da população é algo extremamente importante não só durante a campanha.