Gi é eleita presidente da Câmara Municipal e comissões são definidas

O prefeito reeleito, de Bragança Paulista, Jesus Chedid, tomou posse de forma virtual na noite de sexta-feira, 1º de janeiro. Seguindo recomendações médicas, por causa da COVID-19, nem ele, nem o vice-prefeito Amauri Sodré compareceram a solenidade de posse, que foi realizada na Câmara Municipal.

Em seu discurso, o prefeito falou das dificuldades que teve ao assumir o mandato em 2016, do trabalho realizado e os planos para os próximos quatro anos.

“A Prefeitura de Bragança não tinha frota de veículos, não tinha máquinas, estava zerada em equipamentos. O que se tinha era um monte de sucatas, sem condições de uso e uma equipe de servidores insuficiente para vencer a demanda da cidade. Fizemos concurso público, reforçamos a equipe da garagem. Recompusemos toda a frota de veículos e máquinas da Prefeitura, equipamentos novos. Conseguimos comprar até uma acabadora – a mais moderna para fazer asfalto, a custo mais barato e hoje estamos conseguindo atacar pontos problemáticos da cidade que necessitavam de intervenções”, disse o prefeito.

Na oportunidade também tomaram posse os 19 vereadores eleitos para o mandato que vai de 2021 a 2024. O vereador reeleito, Natanael Ananias, não esteve presente na solenidade, porque está com sintomas de COVID-19 e segue em isolamento domiciliar. Ele, no entanto, participou da sessão de forma virtual.

Após os  discursos de posse, como de praxe, foi realizada a eleição para composição da Mesa Diretora da Câmara Municipal e das comissões. A vereadora Gislene Bueno foi eleita presidente com 14 votos. Além dos 12 votos dos vereadores que compunham o grupo prefeito Jesus Chedid durante a eleição, também votaram nela os vereadores Marcos Roberto do PODEMOS que estava aliado à Basílio Zecchini Filho nas eleições e Juninho Boi, do PSB, que apoiou João Afonso Sólis e Gustavo Sartori.

Eleição da Mesa Diretora

A eleição foi tensa. Para conferir  como foi basta clicar no link: https://www.facebook.com/bragancaempauta/videos/436372647770466

Além da vereadora Gi Borboleta, também se candidataram ao cargo os vereadores Quique Brown e Brasilino. O novato, sequer discursou pedindo votos e somente ele mesmo o escolheu.

Já Quique Brown usou a tribuna para revelar conversas de bastidores realizadas antes mesmo da posse dos vereadores, com o objetivo de articular a eleição de Gi Borboleta e a composição das comissões.  Quique Brown, ressaltou em seu discurso a importância da independência dos poderes.

Durante o discurso ele chegou a ser interrompido pelo líder do prefeito, Paulo Mário e também pelo presidente em exercício José Gabriel e subiu o tom. “O senhor não tem autonomia para trabalhar, a sua liderança, infelizmente, ela não tem voz ativa. E eu estou trazendo as verdades de como se comporta na execução dos trabalhos a pessoa que pleiteia o cargo”, disse Quique Brown para Paulo Mário. 

“O senhor não interrompeu o prefeito que ficou falando uma hora e meia (…) Agora você quer me cortar? Eu estou falando da disputa da presidência dessa casa você poderia ter feito mesmo na hora que o seu prefeito, se equivocou na sua fala e foram muitas”, acrescentou.

Eu temo que a gestão desta Casa esteja na mão de pessoas estão ligadas assim a administração pública (…). Para defender esta Casa é muito importante que a gente não seja alinhado de forma abrupta com o Executivo. Porque depositar o voto que veio de lá da Morada das Pedras, em uma negociata, que é aquilo que o Brasilino falou hoje, (…..) é empenhar o voto no que há de pior da política”, disse.

“Peço encarecidamente que vocês, principalmente os mais novos, que porventura foram vítimas de algum tipo de chantagem oriunda da Morada das Pedras, alguma troca de pequenos benefícios, que sejam vereadores independentes, que comecem o ano Legislativo livres de amarração porque, como eu disse no começo, isso aqui é o Legislativo. A Morada das Pedras não é a Câmara Municipal. A gente existe, como disse Fabiana Alessandri, existe para fiscalizar a Prefeitura e não para ser um braço dela”, disse. 

Quique, no entanto, recebeu os votos apenas dele mesmo e dos vereadores Miguel Lopes e Cláudio Coxinha. Gi Borboleta, que na eleição de 2016, deixou de ser candidata quando seu partido foi retirado do grupo Chedid ás vésperas da eleição, e então foi nomeada como secretária de Agronegócios, foi a escolhida, pela maioria.

O cargo de vice-presidente ficou com Tião do Fórum,  o de 1º secretário com o vereador José Gabriel  e o 2º secretário Natanael Ananias.

Comissões

Além da escolha da Mesa Diretora, também foram definidas as composições das comissões

  • Justiça, Redação, Meio Ambiente e Defesa do Consumidor: Marcolino, Eduardo Simões, Juninho Boi, Natanael Ananias, Pocaia
  • Finanças e Obras:  Fabiana Alessandri, Rita Leme, Fábio Nascimento, Marcos Leitão, Tião do Fórum
  • Educação e Saúde: José Gabriel, Eduardo Simões, Marcos Roberto, Camila Marino, Rita Leme
  • Socioeconômica: Quique Brown, Miguel Lopes, Brasilino, Cláudio Coxinha, Paulo Mário.

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como da região no celular?
É só clicar aqui: 
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta