Hoje, 19, comemora-se o Dia Nacional do Ciclista. A data passou a vigorar no calendário brasileiro em novembro passado e o número de adeptos ao meio de transporte no Brasil vêm crescendo, principalmente em grandes cidades.

Em Bragança Paulista, ainda não há ciclovias e apesar de muitos acreditarem que a geografia da cidade não colabora para que mais pessoas façam adesão a este meio de transporte, já tem muita gente, trocando o carro pela bike ou então adotando o ciclismo como uma prática esportiva e de lazer.

Dois desejos dos ciclistas da cidade é que  o programa  “Vou de Bicicleta” seja regulamentado e a cidade receba investimentos em ciclovias.

Programa Vou de Bicicleta

O programa foi criado ano passado pelo o vereador Quique Brown através da lei  4570/17.

A lei dispõe sobre a criação do Programa Vou de Bicicleta e Selo Empresa Amiga do Ciclista e apesar de ter sido aprovada e publicada no Imprensa Oficial de 23 de junho de 2017, nunca foi regulamentada, ou seja, não saiu do papel, assim como as tão prometidas ciclovias, e isto vem gerando reclamação do vereador na Câmara Municipal.

Quique usou a tribuna para falar do assunto e contestou a informação de que o TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) teria apontado irregularidades na Lei 4570/17. A informação foi dada  pelo secretário Municipal de Governo, Marcos Tasca, durante participação na Comissão de Assuntos Socioeconômicos.

O vereador disse que o apontamento do TCE, questiona o Executivo qual o motivo da não regulamentação da matéria no prazo legal de 90 dias e não faz indicações de ilegalidades.

A lei tem como objetivo conceder incentivo fiscal de 10% no IPTU (Imposto Territorial Urbano) às empresas que aderirem ao Programa Vou de Bicicleta e instalarem bicicletários e vestiários nas dependências para o uso dos funcionários. “Solicitei uma cópia do apontamento, no entanto a indicação é para que a Prefeitura cumpra a lei aprovada. O que o auditor do TCE espera é que a Administração regulamente a Lei, e só assim será possível estimar o índice do IPTU que deixará de ser recolhido”, disse Brown.

Construção de ciclovias

Além da regulamentação da lei, existe um movimento liderados por grupos de ciclistas da cidade para que sejam implantadas ciclovias no município.

Uma petição, criada a partir de iniciativa da consultora de moda Bia Kawasaki está disponível na internet e visa colher assinaturas para construção de ciclovias nas seguintes vias da cidade:

  • Avenida dos Imigrantes,
  • Avenida Norte Sul
  • Avenida Antonio Pires Pimentel,
  • Avenida José Gomes da Rocha Leal,
  • Avenida Salvador Markowicz,
  • Av Europa,
  • Avenida Dom Pedro I,
  • Rodovia Capitão Beduíno,
  • Rodovia Alkindar de Monteiro Junqueira,
  • Rodovia Francisco de Toledo Leme
  • Rod João Hermenegildo de Oliveira (Guaripocaba),
  • Rodovia Padre Aldo Bolline

A ideia segundo ela, é  fomentar a prática de atividades físicas como ciclismo, caminhada e corrida, bem como, aumentar a segurança para os ciclistas (trabalhadores, estudantes e esportistas), que utilizam em grande volume essas vias.

Quem quiser assinar a petição, que deverá ser encaminhada ao governador do estado, deve acessar o link: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR105891 

O projeto é apoiado, segundo Bia Kawasaki por diversos ciclistas da cidade, entre eles as 150 mulheres que fazem parte do  LuluBikers e os 77 integrantes do Bragbikes, um grupo misto de mountain bike.

Ela acrescenta que foram entrevistados diversos ciclistas da cidade e que 80% deles são pessoas humildes, que precisam da bicicleta para se locomover para o trabalho.

Além disto, segundo ela,  lojistas e oficinas de bikes fizeram um levantamento que indica que o ciclismo cresceu 500% em 8 anos na região Bragantina. Com este crescimento, os investimentos em ciclovia, são primordiais para garantir a segurança dos ciclistas.

Segundo dados do Infosiga, o primeiro trimestre de 2018 terminou com aumento de 50% no número de ciclistas mortos nas rodovias do Estado de São Paulo em relação ao mesmo período do ano passado. As ciclovias, com certeza são importantes para redução de acidentes.

Em Bragança Paulista um acidente de trânsito envolvendo um ciclista foi registrado no dia 21 de maio na Rodovia Benevenutto Moretto, que liga Bragança à Tuiuti. O acidente aconteceu a noite, por volta das 19h quando o especialista em Segurança da Informação, Caio Eduardo Negrini pedalava por hobby e na entrada do Green Park, foi atropelado. Ele usava equipamentos de segurança como luvas, óculos e capacete.

O motorista do carro não parou para prestar socorro. Algumas pessoas foram atrás dele e o fizeram voltar ao local do acidente. Ele voltou, mas na sequência fugiu.

O resultado da colisão? Caio sofreu fraturas na cabeça do femur e no acetábulo, passou por cirurgia e ficou quatro dias internado no hospital

Ele está há 4 meses afastado do trabalho por causa do acidente, faz fisioterapia e pilates clínico para garantir sua recuperação e acredita que as ciclovias são de suma importância. “Tem muita gente que anda de bike a noite e aos finais de semana. As ciclovias, são de suma importância para evitar acidentes”, disse.

Para os ciclistas, o uso das bicicletas além de fazer bem à saúde faz também bem a natureza porque reduz a emissão de poluentes.

O engenheiro Fred Zenorini participou recentemente da sessão da Câmara e apresentou uma análise do impacto ambiental da construção de uma ciclovia em Bragança.

Zenorini baseou sua apresentação em reflexões e estudos feitos durante o período da greve dos caminhoneiros no Brasil, período em que ele se dedicou a se locomover pela cidade exclusivamente com a bicicleta ou a pé.

“Utilizando esta mobilidade ‘alternativa’ na época da greve estimei como resultados 60 mil kcal de energia vinda de recursos não-renováveis economizadas, 10 kg de poluentes não emitidos e 40 reais economizados”, exemplificou.

Na oportunidade, o vereador Quique Brown comentou a importância da análise. “A fala do Fred vem numa vertente que ainda não foi explorada nessa Casa. Temos o Plano Municipal de Turismo e de Mobilidade que trazem dados importantes a respeito do uso de bicicletas, que precisam ser analisados”, disse.

Quique comentou que os estudos apresentados nos planos, sua vivência como ciclista e os dados trazidos por Zenorini contribuem para reforçar a importância da construção de ciclovias na cidade. “Cabe ao governo ter essa sensibilidade, entender que é algo necessário. A ciclovia une o ciclismo de lazer com os trabalhadores que se utilizam da bicicleta para trabalhar. Além disso, eleva Bragança a outro patamar de desenvolvimento. Fica aqui nosso apelo para secretários lerem com carinho o Plano Municipal de Mobilidade Urbana”, disse ele na época.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *