O estado de abandono de imóveis sempre gera reclamações, principalmente de quem mora perto e acaba tendo que conviver com medo de invasões, acúmulo de lixo e perigo de bichos e doenças.

Tanto em Bragança Paulista como em Atibaia, são constantes as reclamações.

Desta vez, em Atibaia a reclamação foi feita na Câmara Municipal pelo vereador Júlio Mendes, que alertoupara estado de abandono de imóvel localizado na Praça Aprígio de Toledo, no centro.

Durante a sessão da Câmara de terça-feira, 11  o vereador Júlio César Mendes utilizou o espaço para pedir que a Prefeitura faça a notificação do proprietário de um imóvel localizado na Praça Aprígio de Toledo, centro, para que realize a limpeza e o fechamento adequado do prédio.

O local foi invadido e, em seu interior, está havendo o acúmulo de restos de alimentos e de sujeira, tornando-se um problema de saúde pública. “Fui procurado por moradores e comerciantes da região central da cidade que relataram o estado de abandono do imóvel na Praça Aprígio de Toledo, onde funcionava uma agência bancária. Há cerca de um ano essa agência foi fechada e, desde então, o local foi abandonado. Na ocasião, o proprietário apenas colocou alguns tapumes para fechar o acesso, mas que acabaram sendo derrubados por moradores de rua que estão utilizando o espaço para pernoitar”, contou.

“O problema é que o prédio está em completo estado de abandono, totalmente deplorável, com muita sujeira e entulho, tornando-se um problema de saúde pública, por conta do risco de proliferação de insetos e animais peçonhentos. Portanto, peço para que a Administração Municipal notifique o proprietário o mais rápido possível, para que ele tome as providências necessárias e realize a limpeza e o fechamento adequado do local”, concluiu Júlio Mendes.

Em Bragança Paulista, leitores do jornal Bragança Em Pauta, reclamam de uma residência na Avenida das Nações, no Jardim Europa.

O mato e a sujeira tomaram conta do quintal da casa e da calçada. Os pedestres tem que andar pela rua, porque na calçada é impossível passar.

Os moradores da região reclamam da proliferação de animais peçonhentos e escorpiões por causa do ambiente propício à eles, já que além do mato existe na garagem materiais de construção abandonados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *