A Prefeitura de Itatiba firmou uma parceria com a Associação do Distrito Industrial “Alfredo Rela”, que visa a ampliação do monitoramento eletrônicos de segurança em Itatiba.

De acordo com o termo, a Associação do Distrito instalará câmeras OCRs, que fazem a identificação e leitura de placas de veículos, tanto na entrada como na saída do local.

Essas imagens serão cedidas gratuitamente ao Departamento de Inteligência Integrada da Prefeitura, reforçando o volume de processamento e análise dessas informações, que são importantes estrategicamente.



Para o prefeito Douglas Augusto Pinheiro de Oliveira, a iniciativa ratifica a importância de parcerias com o setor privado. “A nossa ‘muralha digital’ fica mais forte com a parceria com a Associação do Distrito Industrial.

O prefeito de Itatiba, ressaltou também a importância da troca de informações com outras cidades.  “Quanto mais rápido identificarmos um veículo suspeito, maiores as chances de realizarmos uma abordagem e verificar se há algo ilícito”, completou.

Alexander Schmidt, da AZ Armaturen e Marcelo Viserta, da Pressmat, representaram a Associação na assinatura do termo. “Essa é uma iniciativa pensando na segurança de todos as empresas instaladas no local. Fizemos os orçamentos e agora temos câmeras na entrada e na saída no Distrito. Caso se identifique a entrada de algum carro suspeito, fica mais fácil e ágil acionar a Guarda Municipal”, explicaram.

Bragança Paulista contava com sistema de OCRs instalado em todas as 14 entradas e saídas da cidade, mas com o fim do Consórcio Via Segura, no final de maio, os equipamentos estão deligados. O mesmo acontece com radares e equipamentos de OCRs instalados em semáforos, por exemplo.

Em 2017, a Prefeitura tentou realizar  uma licitação para contratar empresa para operar novos equipamentos mas não teve sucesso e suspendeu o certame. Desde fevereiro deste ano, tenta dar prosseguimento a contratação, que está em fase de recurso.

A falta de planejamento, deixa não só a Secretaria de Mobilidade sem os equipamentos importantes para fiscalização no trânsito, mas também a Polícia Civil, sem uma importante arma na elucidação de crimes e identificação de quadrilhas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *