O candidato a prefeito João Afonso Sólis (Jango) teve a candidatura confirmadas pela Justiça Eleitoral. A decisão do juiz Rodrigo Carvalho Sette foi publicada hoje, 16, no site do Tribunal Superior Eleitoral.

Com isto, portanto, oficialmente agora Bragança Paulista conta com quatro candidatos “deferidos” pela Justiça: Jango,  Jesus Chedid, Professor Adalberto e Basílio Zecchini.

VEJA TAMBÉM:

Amauri Sodré deixa a UTI e vai para enfermaria da Santa Casa
TCE determina paralisação de licitação de asfalto em Bragança Paulista
Sábado é dia D da Campanha de Vacinação

O pedido de impugnação de Jango foi feito pelos advogados de Jesus Chedid e o Ministério Público também se mostrou favorável ao registro da candidatura.

Para o juiz, Rodrigo Sette Carvalho ainda que Jango “pudesse ser responsabilizado pela situação posta por exercer à época o cargo de Prefeito de Bragança Paulista, a rejeição do Tribunal de Contas ao convênio ocorreu por omissão no dever de prestação de contas, o que a distancia da figura dolosa exigida pelo texto legal e sua condição de vício insanável.”.

O juiz ressaltou ainda que ” o Tribunal Superior Eleitoral entende que irregularidade insanável “é aquela que indica ato de improbidade administrativa” e que é “duvidoso também o enquadramento da omissão de prestação de contas como improbidade administrativa”.

E acrescentou: “a improbidade administrativa é a prática, pelo agente público, de um ato de forma contrária aos ditames da honestidade e da boa-fé. A imoralidade constitui pressuposto para a caracterização da improbidade administrativa. É uma ilegalidade qualificada”.

E com isto, entendeu que Jango não cometeu improbidade e, portanto, está apto a concorrer ao cargo de prefeito nas Eleições 2020.

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como região no celular? É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta