Em uma votação histórica Jesus Chedid obteve mais de 60 mil votos na urna, mas não foi declarado prefeito eleito de Bragança Paulista pois seu registro de candidatura está pendente de apreciação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Não há previsão para este julgamento e segundo o juiz eleitoral de Bragança Paulista, Rodrigo Sette Carvalho, pode ser que o presidente da Câmara tenha que assumir o cargo em janeiro de 2017, enquanto a decisão final não saia.

Agora, a cidade que viveu a expectativa da eleição, vive a expectativa do julgamento. Caso o TSE entenda que Jesus Chedid atendia todas exigências legais para ser candidato ele assume o cargo de prefeito. Caso entende que não, o juiz eleitoral, tem prazo para convocar novas eleições.

Importante salientar aqui, que em uma eventual nova disputa Jesus Chedid, não pode ser candidato, porém, o vice Amauri Sodré, sim, já que tanto em primeira como em segunda instância a Justiça entende que ele está apto ao cargo.

Confira entrevista com o juiz eleitoral, concedida antes da apuração, em que ele explica a situação jurídica.

Gustavo Sartori teve 22.155 votos, Renan Oliveira 1898 votos e e Bruno Leme apenas 556 votos.

A cobertura completa das eleições o Bragança em Pauta em breve.