O jovem Marlon de Oliveira Poloni Chagas, de 18 anos, teve sua prisão preventiva decretada na manhã desta segunda-feira, dia 24, durante audiência de custódia realizada no Fórum local. Seus advogados devem trabalhar agora para tentar revogar a prisão preventiva.

O garoto não tinha Carteira Nacional de Habilitação e foi preso acusado de homicídio já que dirigia o veículo que prensou contra um poste e matou o gari Benedito Aparecido de Oliveira, de 54 anos.

O acidente aconteceu nas proximidades do Posto de Monta, na manhã de domingo, dia 23 e o rapaz é acusado de estar praticando um racha no momento do acidente.

Apesar de possuir em seu perfil no facebook, apagado ainda na tarde de domingo, mensagens e fotos alusivas a racha, o garoto nega a prática e afirma, que estava sendo perseguido por um veículo preto, que o teria feito perder o controle de direção.

Garis que estavam junto com Benedito de Oliveira limpado a sujeira deixada pelos frequentadores da Festa do Peão, relatam que tudo foi muito rápido, mas que os dois veículos estavam em altíssima velocidade, praticando racha.

 

Rogério Miranda, uns dos colegas de Benedito disse que foi coisa de segundos. Emocionado, pouco conseguiu falar, com a reportagem, logo após o acidente.

Confira o que ele contou:

O caso chocou a cidade.

Benedito era gari há mais de 10 anos.

Minutos antes, chegou a passar no quartel do Corpo de Bombeiros, à poucos metros do local do acidente, e dizer para os bombeiros que saiam para atender uma ocorrência de incêndio que a profissão dos mesmos era perigosa. Mal sabia, que minutos depois, aqueles mesmos bombeiros  tentariam salvar sua vida.

Ele ainda foi socorrido ao Hospital Universitário, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. Seu corpo foi sepultado nesta segunda-feira, dia 24, no Cemitério da Saudades,