JTP assume transporte público de Bragança Paulista a meia noite

A partir das 0h deste domingo, 4, a empresa JTP Transportes assume as linhas municipais de Bragança Paulista. A empresa assume no lugar da Nossa Senhora de Fátima, que foi responsável pelo transporte público no município por mais de 57 anos.

A NSF foi derrotada pela JTP durante a Concorrência Pública 005/2019. A licitação, aliás, culminou com recursos inclusive na Justiça.

O contrato com a Prefeitura é de 20 anos. A empresa já presta serviços em Embu das Artes e Porto Velho (RO)

O transporte contará com  42 linhas classificadas como urbanas, rurais e duas linhas circulares centrais gratuitas, que serão operadas através de micro-ônibus. A primeira linha parte da antiga rodoviária e a segunda do Jardim Público. Ambas circularão pelo centro.

A princípio, a frota contará com 87 ônibus, sendo 79 operacionais e 8 destinados à reserva técnica.

AÇÃO JUDICIAL

A Prefeitura de Bragança Paulista entrou na justiça contra a empresa Nossa Senhora de Fátima alegando que a empresa “se negou a enviar” todos os dados de cadastro dos passageiros no sistema de bilhetagem eletrônica para que a nova companhia fizesse a leitura pelos validadores dos saldos ainda existente nos cartões de transporte.

Mas o passageiro não ficará sem transporte. O usuário deve entregar o cartão atual nas mãos do motorista, que vai exibi-lo para a câmera de monitoramento do ônibus e liberar a catraca em seguida.

A Nossa Senhora de Fátima, por sua vez, alegou que os  passageiros continuam usando os cartões da concessionária e não tem condições de fornecer os dados que não estão  fechados.

Entre as novidades, os ônibus devem oferecer acesso gratuito à internet via Wi-Fi e, pelo menos 4 tomadas do tipo USB para carregamento de aparelhos eletrônicos. Além disso, os ônibus também devem ter ar condicionado.

Tarifa e subsídio

A tarifa de ônibus foi reduzida em 1 centavo, o que não fará diferença no bolso do trabalhador, já que não há troco. De R$ 4,70 a passagem caiu para R$ 4,69. O próximo reajuste do valor da tarifa somente deverá ocorrer um ano após o início da operação da Concessionária JTP, observando-se a anualidade.

Vale lembrar, no entanto, que conforme estudo de viabilidade técnica e econômica, a Prefeitura acredita que a empresa, tenha em média 543.557  usuários por mês. Caso haja menos passageiros do que isto, cabe a Prefeitura pagar um subsídio tarifário para a empresa.

Caso o número de passageiros seja maior é a empresa quem tem que pagar um superávit tarifário para a Prefeitura.

Com a pandemia da COVID-19 vale ressaltar que houve diminuição do uso de ônibus até porque as aulas estão suspensas e muitos alunos usam o transporte escolar.

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como região no celular? É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta