O julgamento do Recurso Especial nº 0000049-69.2016.6.26.0027 que começou a ser julgado nesta sexta-feira, dia 16, só deverá terminar de ser apreciado pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na segunda-feira, dia 19 já que o Ministro Herman Benjamin pediu vistas regimental do processo.

Com isto, a indefinição jurídica continua.

Com o pedido de vistas, Jesus Chedid e toda a cidade terá que aguardar, mais alguns dias para saber se poderá ou não assumir a Prefeitura pela quarta vez.

Ele foi o mais votado nas eleições do dia 2 de outubro, mas com o registro de sua candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por causa de contas da Prefeitura de 2005, rejeitadas, aos 78 anos de idade,  não poderá ser diplomado hoje, a partir das 11h, como está acontecendo com os vereadores, no auditório do júri.

Herman Benjamim, relator do caso, votou pela impugnação do registro de candidatura de Jesus Chedid e Amauri Sodré.

Já os ministros Napoleão Filho, Luciana Lóssio acompanharam o voto do ministro substituto Tarcísio Vieira, que votou a favor do deferimento do registro da candidatura.

O placar parcial, portanto é de 3 x 1 a favor de Jesus Chedid. Faltam os votos de Rosa Weber, Gilmar Mendes e Luiz Fux, que nesta sessão não estava presente sendo substituído por Teori Zavascki.

Vale destacar que Tarcísio Vieira participou do julgamento no lugar de Henrique Neves, impedido de participar do caso já que já defendeu Jesus Chedid em outros processos.

Além disto, importante lembrar também que Gilmar Mendes e Luiz Fux  nos últimos dias têm trocado farpas por causa do processo referente às medidas de combate a corrupção.