A reportagem do Bragança Em Pauta, recebeu a reclamação de uma leitora, indignada com a demora no atendimento na Unidade de Pronto Atendimento. Além da demora para ser atendida, o que mais revoltou a nossa leitora Daiane Firmino, foi que ela presenciou uma cena de privilégio de atendimento.

Confira o desabafo da nossa leitora que precisou usar o serviço público de saúde na quinta-feira, dia 28. “Hoje fui no UPA com meu marido. Fiquei esperando 2 horas pelo atendimento. Várias pessoas passaram na minha frente. Fazer o que? Essa é a saúde do nosso Brasil. Mas o que mais me indignou foi quando uma pessoa entrou com o pé meio inchadinho e de cara não fez nem a ficha. A pessoa entrou ajudada por uma moça que trabalhava lá e a mãe dela se sentou ao meu lado.”

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE



Daiane, puxou conversa com a mãe da pessoa e disse que era sorte a moça ter sido atendida tão rápida. Para sua surpresa, a mãe segundo ela, não exitou em responder: “Sorte nada. É que minha filha e amiga da encarregada”.

Após ouvir esta declaração, a nossa leitora, confessa que ficou perplexa.  “Logo em seguida entrou uma senhora bem velhinha de bengala e com o pé quase partido de tão inchado e simplesmente ela teve que aguardar todo o procedimento mais horas ali sentada. Enfim, esperei 3h30 lá e quando sai a mesma senhora ainda estava aguardando atendimento. Que descaso! Até quando vai continuar isso?