O desrespeito as leis de trânsito em Bragança Paulista, se espalham pelo quatro cantos da cidade e muitas têm sido as reclamações de falta de fiscalização efetiva, para que o abuso dos motoristas possa ser coibido.

Leitores procuraram a reportagem do jornal Bragança Em Pauta para falar de um local tem que tem problemas crônicos quando o assunto é mobilidade urbana e desrespeito às leis de trânsito: as proximidades da Universidade São Francisco e Hospital Universitário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Constantemente chegam à redação reclamações de carros e motos estacionados em locais proibidos. As vagas de embarque e desembarque não são respeitadas.

As cenas, que se repetem, fazem parte do dia a dia de quem frequenta o local. E a reclamação é sempre a mesma: acionamos a Secretaria de Mobilidade mas nem sempre o agente vem.

O resultado do desrespeito e da fiscalização falha é que quem precisa desembarcar ou embarcar um paciente com mobilidade reduzida, cadeirante, ou de muleta, não consegue porque as vagas de embarque e desembarque não são respeitadas.

 

 

Quem procura um táxi, por exemplo, nem sempre o encontra no ponto certo, porque outros carros e até motos, ignoram a sinalização horizontal.  Além disto, os ônibus tem que invadir a faixa contrária para conseguir passar já que mesmo com a placa proibindo estacionamento,  motoristas param na via, sem qualquer preocupação.

Nosso leitor, Edson de Jesus, é taxista e sente na pele o desrespeito às leis de trânsito e a falta de fiscalização. “Têm dias que nem faço ponto lá, porque não tem condições. Nem sempre o agente vêm e ai pessoas, acham que podem parar em qualquer lugar”, desabafou.