Na quarta-feira, 7, o Brasil comemorou 13 anos do sancionamento da Lei Maria da Penha. A lei criou medidas protetivas e de urgência para mulheres vítimas de violência doméstica.  Mesmo assim, os casos de violência doméstica não param.

Em Bragança Paulista entre a manhã de quarta-feira, 7 e a madrugada desta quinta-feira, 8, foram pelo menos mais três casos.

O primeiro deles aconteceu no bairro Henedina Cortez. A Polícia Militar foi acionada na manhã de quarta, 7,  para atender ocorrência de violência doméstica. Em contato com a vítima, ela relatou que tinha em seu favor medida protetiva expedida contra seu irmão, um homem de 32 anos.

O rapaz, no entanto, descumpriu a medida e teria invadido sua casa e a ameaçado de morte caso chamasse a polícia.

Os policiais encontraram o acusado deitado no quarto e com um facão embaixo do braço. Ele ainda tentou pegar o facão ao ver os policiais.

O homem no entanto, foi desarmado. Ele ainda resistiu à prisão, tentando fugir, mas foi contido. C

Ele foi conduzido ao Plantão Central da Polícia Civil. Lá foi autuado em flagrante por ameaça e descumprimento de medida protetiva de urgência – violência doméstica – e por resistência. Em seguida foi  apresentado em audiência de custódia.

Violência doméstica na Penha

Já no início da madrugada de quinta-feira, 8, um caso de violência doméstica aconteceu no bairro da Penha, onde um casal estaria em intensa discussão no interior de um veículo.

Quando os policias chegaram no local viram uma mulher fora do veículo. Com a aproximação da viatura, no entanto, o rapaz saiu com o carro, trafegando de forma desgovernada por alguns metros.

Ele foi então perseguido e detido. O rapaz de 25 anos estava visivelmente embriagado. Ele passou então a desacatar e ofender os policiais, resistindo à abordagem.

Ele também se recusou a fazer o teste do etilômetro.

No decorrer da abordagem a mulher se aproximou para conversar com o rapaz. Foi então que ele a empurrou e a derrubou no chão. Diante da situação, os policiais deram voz de prisão ao acusado e o conduziram ao Plantão Central da Polícia Civil.

Lá ele continuou alterado e ofendendo os policiais. O rapaz chegou inclusive a entrar em luta corporal com um escrivão quando este foi fazer a troca de algemas. Ele foi então autuado em flagrante por embriaguez ao volante, desacato e resistência e também por vias de fato – violência doméstica. Posteriormente ele foi apresentado em audiência de custódia.

Descumprimento de medida protetiva no Henedina

Ainda durante a madrugada desta quinta, 8, policiais militares foram atender briga de casal no Henedina Cortez. Quando lá chegaram o casal estavam em frente a uma residência.

O homem, de 34 anos, tentou  entrar na casa da ex-companheira e passou então a discutir com ela.

Como havia contra ele uma medida protetiva de urgência, o mesmo foi levado para o Plantão Central da Polícia Civil. Lá ele foi autuado em flagrante por descumprimento de medida protetiva de urgência – violência doméstica – e apresentado em audiência de custódia.

O tema violência doméstica é tão importante que o assunto foi inclusive debatido no Em Pauta Entrevista da última semana. Recebemos as guardas municipais Valença e Karen, do projeto Guardiã Maria da Penha. Se você ainda não assistiu, confira:

Deixe uma resposta