As micoses,  que são infecções causadas por fungos e podem ser superficiais ou profundas, são as grandes vilãs do verão.

Como não são indesejáveis e de difícil cura, a reportagem do Bragança Em Pauta em parceria com a Linha Confirme, Sobre a Linha Confirme, empresa líder no mercado de auto testes, dá algumas dicas de prevenção e monitoramento principalmente para os diabéticos.

O êxito do tratamento é diretamente dependente do diagnóstico precoce e do estado geral do individuo.

Quando um diabético passa por um médico, um dos primeiros lugares verificados, nas consultas são os pés.

Estima-se que 70% das amputações não traumáticas em pessoas adultas são de diabéticos, o que justifica a grande preocupação de alertar a população quanto à prevenção e os respectivos tratamentos.

Causadas por aproximadamente 100 espécies diferentes de fungos, as micoses são infecções muito incômodas e resistentes, algumas vezes até confundidas com alergias.

Dra. Adriana Juliani, porta voz da pioneira e líder de mercado em auto testes, a Linha Confirme, comenta que os diabéticos, grupo com maior predisposição a desenvolver a infecção, devem monitorar diariamente seus pés e o nível de açúcar no sangue, principalmente nesta época do ano, onde todas as condições climáticas levam as pessoas a se refrescaram mais, deixando seus pés na maioria do tempo molhados e, ainda, abertos a contaminações em piscinas e mares.

Segundo ela, “o paciente com diabetes, por ter a circulação dos membros inferior comprometida, quando contaminado, terá a necessidade de seguir com o tratamento por muito mais tempo do que um não diabético. Além disso, as complicações no pé do diabético podem levar a sérios e irreversíveis problemas, podendo chegar até a amputação. Os diabéticos tanto tipo 1 como o tipo 2, estão mais sujeitos a desenvolver feridas em curto espaço de tempo e a cicatrização costuma ser trabalhosa e lenta”.

“O importante é estar sempre em alerta quanto à exposição do corpo a umidade, principalmente em lugares públicos. As micoses se reproduzem até no suor e, com temperaturas altas, as infecções se proliferam rapidamente nas dobras do corpo, nos pés e nas partes intimas. Portanto, manter o corpo seco ajudará a evitar tais transtornos na pele.” Comenta Dra. Adriana Juliani.

Sintomas da micose de pele são: primeiro uma leve coceira, depois verifique se a pele está avermelhada ou rosada. Caso já esteja com descamação e prurido, procure seu médico imediatamente.

Dicas importantes para evitar as micoses:

  • Evite tomar banho em banheiros públicos em praias, piscinas e academias;
  • Não compartilhe toalhas, mesmo com pessoas conhecidas;
  • Evite andar descalço em pisos úmidos em locais públicos;
  • Tente manter os pés e o corpo inteiro sempre seco. Lembrando que o suor também é um ambiente propício à reprodução dos fungos. Para ajudar, use talco nas regiões mais quentes e úmidas do corpo, como nas dobras e nos meios dos dedos dos pés.
  • Para evitar as micoses de unha, verifique se o material usado em casa ou salões de beleza está corretamente esterilizado.
  • Procure sempre seu médico, caso você identifique qualquer sintoma. Além de reduzir o tempo de tratamento, o diagnóstico precoce pode evitar complicações desagradáveis.
  • Lave os pés diariamente com água morna e seque-os muito bem entre os dedos sem usar a força, pois pode danificar a pele.
  • Todos os dias examinem seus pés ou peça ajuda a para alguém. Observe se há cortes, rachaduras ou qualquer ferida. Use hidratantes na parte superior ou inferior dos pés, mas evite entre os dedos.
  • Corte as unhas  em linha reta.
  • Use sapatos ou sandálias confortáveis.
  • Olhe sempre dentro dos calçados antes de usá-los, pois podem ter algum objeto como, pedrinhas, aranhas, formigas e até mesmo vidros ou prego.
  • Não use meias apertadas.
  • Em piscinas ou na praia, use sempre um chinelo e depois de sair da água, seque os pés levemente.
  • Não se esqueça de realizar exames periódicos para verificar os níveis de açúcar no sangue.

E para finalizar, divirta-se, bom verão e muita saúde.