coronavírus

Segundo comunicado divulgado pela Prefeitura de Mairiporã, em suas redes sociais, na sexta-feira, 8 o caso suspeito de coronavírus, família de vírus que causam infecções respiratória, registrado na cidade, foi descartado.

Na quinta-feira, 6, a Prefeitura de Mairiporã divulgou que um homem, residente em Guarulhos, havia procurado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Terra Preta, na terça-feira, 4, com sintomas da doença.

Como o homem tinha feito uma viagem internacional recentemente os protocolos necessários foram adotados a fim de evitar em caso positivo de que a doença se espalha com rapidez.

De acordo com a Prefeitura de Mairiporã, no entanto, o caso suspeito foi descartado.

O CORONAVÍRUS

novo coronavírus – nCoV-2019, foi descoberto no fim de dezembro de 2019 após ter casos registrados na China. São mais de 34.500 mil casos registrados só na China, onde pelo menos 723 pessoas morreram.

No Brasil, segundo boletim do Ministério da Saúde,  até o dia 7 de fevereiro existiam 9 casos suspeitos em investigação para o coronavírus (nCoV-2019) . O estado de São Paulo assim como o do Rio Grande do Sul, tem três casos suspeitos cada. Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina, tem um caso suspeito cada.

Além disso, segundo boletim do Ministério da Saúde, 102 notificações já foram feitas, 70 casos excluídos e 24 descartados.

 

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS

O Ministério da Saúde orienta a população que é necessário ter cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Além disso, profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

 

Deixe uma resposta