Após o incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro no ultimo domingo, 2, a situação dos museus em todo país virou motivo de preocupação e atenção da população e das autoridades.

Você conhece os museus da região?

O Museu Municipal de Atibaia acabou de entrar para o Cadastro Estadual de Museus

Segundo nota, da Prefeitura de Atibaia, o Museu Municipal João Batista Conti, da Prefeitura de Atibaia, acaba de ser incluído no Cadastro Estadual de Museus, pertencente ao Sistema Estadual de Museus do Governo do Estado de São Paulo.

Agora, depois de um processo de qualificação, o museu de Atibaia passa a fazer parte da ferramenta que objetiva sistematizar informações sobre as condições técnicas e padrões normativos do setor em território paulista, facilitando a pesquisa e a busca de informações por pesquisadores, estudantes e interessados em museologia.

O Museu João Batista Conti recebe cerca de 10 mil visitas ao ano e tem, atualmente, 8752 peças no acervo.

Como parte da primeira etapa de adequações e regularizações a serem seguidas para um melhor trabalho e aprimoramento, sempre em prol dos visitantes do espaço, o Museu Municipal de Atibaia, em parceria com o ITEC – Instituto de Tecnologia da Construção, também iniciou a montagem de uma sala de Reserva Técnica, destinada à preservação e acondicionamento do acervo.

No acervo podem ser encontradas peças e documentos que remontam ao Brasil Colonial, Império e República, distribuídos em sete salas e um saguão principal. Obras de acessibilidade e reparos nas janelas e no telhado do prédio histórico também estão previstas no planejamento de manutenção da Prefeitura, em parceria com o ITEC, para a reforma do espaço cultural.

Obras de Benedito Calixto e Yolando Malozzi, além de coleções de numismática, arte sacra, mobília, folclore e moda, também fazem parte do acervo. No local há uma biblioteca histórica para pesquisa, com documentos, atas da Câmara, acervo fotográfico e exemplares dos principais jornais da cidade desde a década de 1950.

O prédio (com paredes de taipa de pilão e pau-a-pique) foi construído em 1836 para ser, simultaneamente, Casa de Câmara e Cadeia de Atibaia, funcionando assim até 1953. Passou por um processo de restauração, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e, a partir de 1961, começou a abrigar o Museu Municipal.

Recebeu o nome de João Batista Conti em homenagem ao benemérito cidadão que, ao longo de sua vida, reuniu vários objetos históricos que deram início ao acervo, além de obras escritas sobre a história da cidade. No dia 1º de setembro é comemorado o aniversário de nascimento do idealizador e patrono do museu.



É tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico de São Paulo (Condephat), pelo IPHAN e pelo Conselho Municipal de Cultura de Atibaia.

O museu fica na Praça Bento Paes, no Centro de Atibaia. A visitação é gratuita e pode ser realizada de terça-feira a domingo, das 11h30 às 17h30. Mais informações pelo telefone (11) 4412-7153 ou pelo e-mail museu@atibaia.sp.gov.br .

Já em Bragança Paulista há dois museus. O Museu Municipal Oswaldo Russomano, que fica na Rua Coronel João Leme, 520 e o Museu do Telefone, que fica na Praça José Bonifácio.

Durante o mês de setembro, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo divulgou que várias são as escolas de Bragança e região, que devem visitar o Museu Municipal, que chegou a ficar dois anos fechados para reforma, sendo reinaugurado em 2013.
Na oportunidade, o assoalho foi todo restaurado e os papéis de parede foram trocados. O prédio, no centro da cidade, na oportunidade ganhou pintura nova e rampa de acesso e banheiros para pessoas com deficiência.
Entre as peças existentes no museu em Bragança estão espada e bandeira usadas por Dom Pedro I.
A novidade relacionada ao Museu de Bragança é que no final do mês de julho, a Secretaria Municipal de Cultura fechou uma parceria com a Faculdade de Tecnologia (FATEC), campus de Bragança Paulista em  prol da informatização do Museu Municipal Oswaldo Russomano.
A parceria prevê a participação de alunos do curso de Tecnologia da Informação na elaboração de um programa específico com o intuito de catalogar e digitalizar todas as peças do acervo local.
O  programa otimizará o trabalho interno e contribuirá com a interação dos visitantes, que também poderão utilizar do sistema informatizado.

No futuro, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo pretender disponibilizar o acervo museológico em ambiente digital. O intuito é a informatização e a preservação dos materiais e da história, além da democratização do acesso a documentos históricos, fundamentais para a identidade histórica municipal e até regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *