Sabe aquelas histórias que a gente acha que só acontece bem longe da gente e que a gente só vai ver na TV? Elas estão cada dia mais perto da gente e as vezes, são realmente inusitadas.

Um jovem, de 18 anos, é acusado de furtar o próprio avô, na manhã de domingo, dia 19 em Bragança Paulista.

De acordo com o registrado, policiais militares faziam patrulhamento pela Avenida Antonio Pires Pimentel, quando dois indivíduos que por ali caminhavam, repentinamente entraram em uma farmácia, assim que avistaram a presença da viatura.

Os policiais desconfiaram da atitude dos jovens e os abordaram.

Eles foram identificados como Júlio César Oliveira de Moraes, de 18 anos e David William Dias Ferreira, de 23 anos.

Os policiais os revistaram e com David encontraram R$ 224,00 e uma porção de maconha. Já  com Júlio César havia um cartão bancário pertencente ao seu avô, 1 boné, 1 relógio de pulso, 1 par de tênis, 1 pote de gel e 1 prestobarba.

Júlio alegou aos policiais que o avô o autorizara a utilizar o cartão.

David, entretanto, deu versões contraditórias, para o fato e disse, que estavam usando o cartão para fazer compras.

Os policiais, então verificaram os comprovantes de pagamentos encontrados com Júlio César e constaram que eles tinha usado o cartão em um posto de gasolina.

Foram então ao local e apuraram que realmente algumas horas antes, Júlio, David e um terceiro indivíduo tinham ali estado e abastecido um veículo Gol, no valor de R$ 30,00, mas passaram o cartão no valor de R$ 80,00, recebendo R$ 50,00 de troco.

Em seguida, teriam passado novamente o cartão, no valor de R$ 200,00, que receberam em dinheiro do frentista.

Desconfiados da ação, os policiais então fizeram contato com o avô de Júlio César e este negou que tivesse entregue o cartão ao neto, constatando então que havia sido furtado.

Diante disto, Júlio César e David foram conduzidos ao Plantão Central, autuados em flagrante por furto qualificado e recolhidos à cadeia. Com relação a David foi também elaborada ocorrência por porte de drogas.