A Polícia Civil de São Paulo deflagrou, na madrugada desta quinta-feira, 24, a Operação Estadual Transponder. A operação conta com objetivo de combater as células de organizações criminosas no Estado.

A ação foi desencadeada após três meses de investigações. Elas tiveram início com a apreensão de fragmentos de manuscritos apreendidos na região de Presidente Prudente.

Desde a madrugada, 250 policiais civis realizam a ação em 21 cidades do Estado de São Paulo. Os policiais civis cumprem 37 mandados de prisões temporárias e 59 de busca e apreensão. As ações acontecem nos municípios de Pacaembu, Irapuru, Flórida Paulista, Presidente Prudente, Martinópolis, Presidente Bernardes, Junqueirópolis, Caiuá, Presidente Venceslau, Presidente Epitácio, São Paulo, Carapicuíba, Taboão da Serra, Guarulhos, Aparecida, Mirassol, Mongaguá, Sorocaba, São José do Rio Preto, Teodoro Sampaio e Andradina.

De acordo com o o divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), além das prisões, a investigação policial alcançará bens. Devem ser bloqueada quantias em todas as contas bancárias vinculadas a 47 acusados de integrar a facção. Conforme o divulgado pela SSP, aliás, estes acusados movimentam diariamente valores provenientes das atividades criminosas.

A Operação Transponder é coordenada pela Delegacia Seccional de Polícia de Adamantina bem como do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior de Presidente Prudente-SP (DEINTER 8).  Ela conta ainda com apoio do Ministério Público e da Secretaria de Administração do Estado de São Paulo (SAP).

 

Deixe uma resposta