Os riscos da Wi-Fi pública

É cada vez mais raro encontrar espaços públicos que não tenham wi-fi disponível. Lugares como shopping centers, aeroportos e bares chegam a ter até mais de uma wi-fi grátis disponível. O ser humano é dependente da internet e sem ela vários serviços básicos podem deixar de funcionar.

Acessar uma rede wi-fi aberta pode ser muito perigoso, o utilizador deve ter a atenção redobrada quando estiver em lugares com várias pessoas; principalmente em aeroportos.

O perigo está no hacker que quer roubar informações pessoais dos utilizadores e utiliza lugares com uma quantidade grande de pessoas para aplicar os mais variados golpes. Dentro os tipos de ataque que eles utilizam, o mais eficaz é o Man-In-The-Middle, ou MITM. Consiste na criação de uma rede Wi-Fi com o mesmo nome do local que a pessoa está, assim que a pessoa acessa essa rede, o invasor consegue roubar informações como senhas, emails e imagens.

É um golpe fácil de aplicar e também muito fácil de fazer com que a pessoa caia nele. Basta não prestar atenção aonde está conectando e, em alguns casos, o próprio celular conecta automaticamente àquela rede falsa.

Como a VPN protege os dados

A VPN, ou Rede Privada Virtual, é um túnel de proteção que é criado entre os dados do utilizador e as informações que o servidor recebe. Essa rede criada sobre outra rede é criptografada e protegida das tentativas de ataques como Man-In-The-Middle que os hackers tentam aplicar.

Vale lembrar que para utilizar a VPN é necessário ter uma conexão de internet. A Rede Privada Virtual não substitui a rede convencional mas, sim, protege essa rede. Protege até do próprio provedor de internet do utilizador, que costuma vender as informações pessoais e sites visitados dos seus assinantes para empresas de propaganda online; assim como os gigantes Google e Facebook.

Quando for utilizar o cartão de crédito para comprar online, pense em baixar e ativar um aplicativo VPN antes de fazer isso, só por precaução. Se não tiver o aplicativo, nunca compre nada online nem partilhe informações pessoais em redes Wi-Fis públicas.

VPNs gratuitas x pagas

Há várias opções no mercado para adquirir uma Rede Privada Virtual gratuitamente, e embora ambas as versões protegerem o utilizador quando ele acessa uma rede Wi-Fi pública, a versão gratuita pode e vende, em alguns casos, as informações dos usuários para empresas de publicidade online.

Além de não proteger totalmente a privacidade do usuário, as VPNs gratuitas têm a desvantagem de serem lentas e terem poucos países diferentes para escolher o servidor.

São poucos servidores, sem muita capacidade e com vários usuários. Essa combinação faz com que a velocidade seja bastante lenta e instável; caindo abruptamente de vez em quando.

Com uma VPN paga, o usuário tem vários locais para escolher aonde acessar e desbloquear sites, assim como uma velocidade rápida e constante, que permitirá ver um filme em 4K, por exemplo.

Com esse aplicativo é ainda possível entrar em sites que são bloqueados por determinados países, obter descontos em passagens de hotéis e aviões, e ver jogos ao vivo que só são transmitidos em outros países.

Tablet, celular ou computador; qual deles está mais vulnerável numa rede Wi-Fi pública?

Enquanto que num espaço de trabalho oficial, como em grandes empresas, os funcionários já têm uma Rede Privada Virtual, num shopping center ou restaurante, a rede Wi-Fi pode representar um perigo.

Para quem trabalha a partir do tablet ou computador, existe o perigo de ter documentos do trabalho roubados; inclusive senhas e cartões de crédito. Mas como o celular se tornou várias coisas no nosso século, inclusive câmera fotográfica, o maior perigo está no celular.

Além de ser possível roubar os dados pessoais e fotos dos usuários, alguns hackers conseguem até ativar a câmera e microfone do dono do celular.

É preciso tomar precauções e evitar acessar redes grátis de Wi-Fi sempre que possível. Se você tiver internet no celular, use sempre que estiver fora de casa. Se quer mais uma camada extra de segurança, então adquira uma VPN de qualidade.

 

Deixe uma resposta