As redes sociais vieram para ficar. Não dá para ignorar que a internet tem revolucionado a comunicação. Postar ou não postar? Eis a questão do mundo moderno.
O fato é que com a agilidade da internet na propagação dos fatos e boatos é importante ter muita cautela com o que se escreve ou fala. Um erro, uma colocação esquisita, podem ser cruciais, principalmente nos casos em que a pessoa que está postando algo é uma figura pública, político ou alguém que almeja um cargo público.
Como este ano a propaganda eleitoral no rádio e na televisão, com as novas regras eleitorais, começam um pouco mais tarde: apenas em agosto, a movimentação nas redes sociais dos pré-candidatos a prefeito, vice e vereadores já são visíveis na internet e diante da crise política que assola o país, o eleitor está de olho em tudo.
Um deslize pode viralizar e ser fatal.
Aqui em Bragança Paulista, enquanto as candidaturas e coligações ainda parecem uma incógnita, as gafes eleitorais já começam a aparecer e foi para falar sobre o comportamento de políticos nas redes sociais, que a reportagem do Bragança Em Pauta, conversou com a consultora política Vanessa Nogueira e com a jornalista política Ana Tereza Braga, que têm vasta experiência no assunto.
Para Vanessa, as redes sociais são um canal importante com o eleitorado.
ceddfc04-ade7-43c2-8e83-3743ab16db81“As redes sociais têm sido usadas por muitos políticos que buscam aproximação do eleitorado. Apesar da grande adesão, muitos governantes (ou pretendentes), ainda demonstram falta de intimidade com a tecnologia e cometem gafes que são disseminadas pelos internautas em questão de minutos”, salienta Vanessa.
A consultora política, ressalta que estas gafes são perigosas para a imagem do político.
“Em janeiro dois políticos cometeram uma ‘gafe’ ao publicar uma mensagem em homenagem ao aniversário de 49 anos de Praia Grande, no litoral de São Paulo. Eles postaram nas redes sociais uma imagem com a foto de uma praia de fundo, porém, a imagem usada não era do município aniversariante, mas de uma praia com o mesmo nome da cidade, que fica em Ubatuba, no litoral norte do Estado. O equívoco foi corrigido horas depois, seguido de um pedido de desculpas, mas, mesmo assim, os internautas não pouparam os políticos pela falta de conhecimento.

Entre as frases dos internautas criticando o erro, Vanessa citou a de um morador da cidade: “Agora que não voto nestas figuras de jeito nenhum. Não conhecer a cidade em que se é vereador complicado”.Neste sentido, a jornalista Ana Tereza Braga, ressalta a importância do candidato ser bem assessorado ao ir em reuniões me bairros mais distantes.

“Ninguém quer ver um candidato, principalmente quando já ocupou ou ocupa cargos públicos, pedindo orientação sobre tal localidade, isso mostra que você não conhece a cidade”

Vanessa, por sua vez, acrescenta que é este é um dos motivos, que durante o planejamento de campanha, os políticos têm que ter muito cuidado ao contratar um assessor direto, para que erros como esses não aconteçam.

“Contratar um assessor ou uma empresa que cuidará da imagem do candidato por um menor custo pode levar a um grande prejuízo. O Custo/benefício nem sempre vale mais que o conhecimento/experiência.Quanto mais responsabilidade um assessor tiver sobre a imagem do candidato ou do político, mais experiência ele deve ter. Lembram do ditado: “Uma palavra dita é uma flecha lançada?” Pois bem, nesses casos o alcance da flecha é muito mais abrangente. O mundo hoje está muito mais “ligado” e com informações instantâneas quanto mais verdadeiro e presente o candidato  for com seus futuros eleitores menor será a chance de cometer algum erro”.

3a9a2985-7967-49c2-b95e-ae633266c9dcA jornalista concorda com isto e cita como exemplo, publicação datada de quinta-feira, dia 9, na página do ex-prefeito José de Lima em que o mesmo parabeniza pelo aniversário, o já falecido jornalista Willian Cardoso.

“Provavelmente não foi ele quem postou isto e sim algum assessor. Não dá para contratar alguém que não conhece ou não está inteirado da história da cidade, da história do candidato, do seu passado.  Quem faz isto, corre riscos de cometer gafes iguais ou piores que estas. O saudoso Willian era muito querido no meio político, o ex-prefeito não esqueceria que ele faleceu”.

Ana Tereza Braga, alerta ainda que os candidatos além da postura na internet devem ter outros cuidados com a imagem.

”Fique atento com suas roupas. Sua aparência não pode chamar mais a 99136f62-8870-4d30-90ef-d7349cc03a7fatenção do que seu conteúdo. As mulheres podem atrair mais olhares com um decote ou uma saia mais justa, mas não vão atrair mais votos. Um homem de barba por fazer, bermuda, regata e chinelo de dedo também não passa uma imagem de muito trabalho e confiança. Uma camisa e uma calça social são perfeitos para quase todas as ocasiões”.

A jornalista ressalta que ainda tem eleitor que não sabe diferenciar a função de um vereador e do prefeito, por exemplo, mas que não é por isto, que o candidato deve prometer o que não pode cumprir.

“Explique aos seus eleitores o que compete a cada função na administração municipal e somente prometa coisas que o cargo que você almeja possa fazer. Não subestime seu eleitor. Se você concorre para vereador e pedem para asfaltar alguma rua, deixa claro que você vai lutar muito por isso, mas que o trabalho compete à Prefeitura”.

Outra dica que ela dá, tanto para os candidatos, como para seus assessores é para que se preparem fisicamente para a campanha.

 “Preparem-se fisicamente para o trabalho corpo a corpo. Com as restrições feitas pela lei eleitoral, o candidato tem que sair às ruas para conquistar seu eleitorado. Com chuva ou sol. Vai andar ruas imensas, subir ladeira. Naquela casa que você ficou com preguiça de bater podem estar os votos que fazem a diferença numa eleição”.

A jornalista Ana Tereza Braga ressalta a importância de conquistar a empatia do eleitor e que isto, não deve ser feito somente durante o período eleitoral.

“Um sorriso no rosto abre portas. Seja receptivo. Esteja sempre atento ao seu tom de voz. Mesmo quando provocado, não se altere. Defenda a sua opinião com humildade, não vale discutir ou brigar com o eleitor. Chame as pessoas pelo nome, se aproxime delas.

Para finalizar ela falou sobre postagens em festas e eventos, que neste período são muito comuns.

“Cuidado com as redes sociais. Tenha em mente que você se tornará uma pessoa pública, então não poste fotos daquele churrasco com a galera, regado a muita cerveja. É legal seus eleitores conhecerem sua família e um pouco da sua rotina, mas não precisa se expor tanto”

Além dos parabéns para uma pessoa já falecida outra gafe política bastante comentada durante a semana foi uma publicação do secretário de Serviços Moufid Doher. Realizada em 2014. Por causa dela Moufid foi condenado há 9 meses e 10 dias de prisão por injúria e difamação.

E você, lembra de alguma gafe cometida por algum político local na internet? Compartilhe sua história com a gente.