Foi inaugurado na sexta-feira, dia 24, mais um supermercado atacadista, em Bragança Paulista: o Comercial Esperança, que fica na Alameda XV de Dezembro, ao lado do Parque Dr. Fernando Costa, mais conhecido como Posto de Monta, e apesar dos cerca de 280 empregos gerados, em um momento de crise, onde o país contabiliza mais de 10 milhões de desempregados, a abertura do novo supermercado gerou polêmica por causa das obras de acesso ao que não estão prontas.

Diante das reclamações, a Prefeitura divulgou no final da tarde de sexta-feira, dia 24, ou seja, horas depois da inauguração uma nota oficial tentando se eximir da responsabilidade dos transtornos, esclarecendo que a construção  “trata-se de um projeto aprovado pela Prefeitura em 2016, cujo alvará de construção foi emitido no mesmo ano”, ou seja, ainda na administração de Fernão Dias.

Além disto, na nota a Prefeitura informou que a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana orientou a empresa quanto a necessidade de instalação de cavaletes e interdição da nova faixa, ainda em obras, a fim de dar maior segurança e visibilidade ao local até o término das obras.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leitores do Bragança Em Pauta, reclamaram durante a semana, dos postes que ficaram no meio da via com a duplicação e do perigo da entrada ser bem próxima ao semáforo.

Ainda na nota, a Prefeitura informou que notificou na quinta-feira, dia 23, a empresa Tebas Empreendimentos e Participações Ltda. a proceder imediatamente com a sinalização da alameda onde os trabalhos ainda estão sendo executados e que o não atendimento à notificação, dado o risco de acidentes, implicaria na aplicação das penalidades previstas em contrato, sem prejuízo de demais consequências de ordem civil e criminal.

Na manhã de hoje, dia 25, o local estava sinalizado, como mostra a foto, porém, os postes de iluminação publica continuam no meio da via. Uma placa indica que as obras de duplicação do trecho da via, foi autorizado por esta administração, a partir de um termo de compromisso firmado no dia  29 de agosto.

Obras na Variante do Taboão

O atraso nas obras de acesso ao supermercado é uma cena repetida, do que vimos há dias atrás, na Variante Farmacêutico Francisco de Toledo Leme e que continua gerando reclamações por causa da inauguração de outro atacadista, o Spani.

A única diferença é que a via é de responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Primeiro houve polêmica quanto a implantação de placas temporárias de redução de velocidade máxima na via, de 60 km/hora para 40 km/hora, por causa das obras.

Agora, os moradores do Jardim do Lago e também do Condomínio Colinas de São Francisco querem saber quando a obra termina e quando serão abertos os novos acessos, já que os antigos foram fechados.

Para abrir estabelecimentos comerciais, como estes supermercados às empresas, tem que apresentar estudos de Impacto de Vizinha, e realizar obras quando necessário. A Prefeitura, tem exigido as melhorias, mas estes dois casos, demonstram que é mais do que necessário, achar meios legais, para que as obras de acesso, fiquem prontas antes da inauguração dos estabelecimentos.

 

 

2 Comentários

  1. A construção do estabelecimento comercial contribuiu para a continuidade da revitalização da alameda XV Dezembro. Os postes é administração pública e da gloriosa Energisa. Que continuam como um poste.

Deixe uma resposta