A Prefeitura de Bragança Paulista, tentará mais uma vez, através de licitação, ocupar os seis quiosques localizados na Praça Coronel Jacinto Osório, no bairro do Matadouro.

Os quiosques foram construídos em 2012, com dinheiro do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (DADETUR), ainda na administração de João Afonso Sólis, que inaugurou a obra, no final do seu mandato, em 2012.

Além dos quiosques, a obra no valor de mais de R$ 2,6 milhões contemplava a reforma da praça e restauração do prédio do antigo Clube 13 de Maio, atualmente denominado de Centro Cultural Geraldo Pereira.

O ex-prefeito Fernão Dias, tentou conceder os espaços durante o seu mandato entre 2013 e 2016 mas não conseguiu. A atual administração, também já tentou, sem sucesso, ocupar o local.

Uma nova licitação, entretanto, já foi publicada no Imprensa Oficial do dia 8 de junho.

A ideia é conceder os seis quiosques à titulo precário e oneroso, sendo que o valor arrecadado será destinado para a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, já instituídos.



A concessão dos seis quiosques será feira separadamente, não ficando impedido, entretanto, que uma mesma pessoa ou empresa obter o direito de explorar mais de um espaço.

Cada quiosque conta com a área de 16,20 m².

A proposta do edital determina o uso específico para cada quiosque com tipos de comércio diferentes, mas todos deverão servir produtos derivados da linguiça bragantina. A intenção é promover o produto e com isso movimentar o comércio local e o turismo gastronômico, característico da cidade, conhecida como “Terra da Linguiça”.

A Concorrência Pública nº 007/2018 está programada para o dia 18 de julho, às 9h30 e o edital já está disponível.

A visita técnica é obrigatória e deverá ser realizada por meio de agendamento através do telefone (11) 4034-6570 da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Em outras oportunidades, uma das reclamações dos interessados era o fato da Prefeitura não ter retirado da frente dos quiosques, os comércios ambulantes existentes na praça, sejam eles alimentícios ou não, já que os mesmos atrapalham a visualização dos quiosques.

Outra reclamação é com relação ao estado dos quiosques, que com o passar dos anos, foram pichados e servem de banheiro para usuários de drogas e moradores de rua.

Foto: Prefeitura de Bragança