Prefeitura abre novo chamamento para contratação de OS para atuar no SAMU e UPA

A Prefeitura de Bragança Paulista abriu novo chamamento público para contratação de organização social de saúde para operacionalização e execução de aloes e serviços de saúde, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

A publicação do edital foi realizada na sexta-feira, dia 22, no Imprensa Oficial.

A sessão de abertura das propostas esta marcada para o dia 15 de janeiro, as 9h30, na Divisão de Compras, Licitação e Almoxarifado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As Organizações Sociais que tem interesse em participar do certame, deverão manifestar expressamente seu interesse em firmar o contrato de gestão até o dia 12 de janeiro. por meio de solicitação escrita a ser protocolada no Setor de Licitações desta Prefeitura.

As organizações devem obrigatoriamente fazer uma visita técnica, também até o dia 12.  O agendamento da visita deve ser feito até as 12h, do dia 11 de janeiro, na Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone (11) 4034.6700.

A Prefeitura já havia realizado um chamamento para contratação de OS para prestar o serviço. A licitação ocorreu no dia 6 de dezembro e na oportunidade, apenas a Organização Social Reviva, já responsável pelo gerenciamento da UPA e SAMU, em caráter emergencial desde outubro.

A Prefeitura chegou a habilitar e inclusive divulgar a habilitação da Reviva, mas depois, a desclassificou, gerando inclusive polêmica.

A desclassificação foi anunciada após divulgação em primeira mão do Bragança Em Pauta que Fernando Vítor  Torres Nogueira Franco, preso pelo Gaeco, na Operação Ouro Verde, em Campinas teria ligação com a Reviva Saúde.

Fernando inclusive participou da solenidade de assinatura de contrato, entre a Prefeitura de Bragança Paulista e a Reviva, em agosto deste ano, se apresentando para imprensa, como integrante da Reviva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A Reviva, por sua vez, nega qualquer envolvimento dele com a instituição.

Fernando Vítor, teve diversas conversas telefônicas monitoradas pelo Ministério Público.  Em uma gravação de junho deste ano ele cita para um empresário, que era necessário fazer o pagamento de pedágio para políticos que ele classifica como “dono de certas regiões”

Em determinado trecho da conversa, o deputado estadual Edmir Chedid é citado.

Edmir Chedid, divulgou nota afirmando que foi citado injustamente nas conversas e pediu na Assembléia a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a contração de OSS em todo o Estado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *