ciclofaixas fora do padrão largura

A Prefeitura de Bragança Paulista divulgou na sexta-feira, 6, que está implantando a primeira ciclofaixa do município com o objetivo de beneficiar os ciclistas que poderão seguir da Zona Norte até o Centro. Embora, a implantação da ciclofaixa fosse esperada por muitos, há anos, a demarcação vem gerando muitas reclamações e questionamentos.  Visivelmente estreita, a ciclofaixa não segue o padrão do Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, desenvolvido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran),elaborado em 2007.

Segundo o manual, a ciclofaixa de sentido único, deve ter uma largura mínima de 1,50 m. Em Bragança Paulista, no entanto, de um lado a ciclofaixa tem cerca de 50 cm e do outro cerca de 70 cm, ficando inclusive parte do guidão da bicicleta para fora da demarcação, quando o ciclista esta pedalando (foto)

Em ambos não foram considerados o espaço da sarjeta. Ou seja, em ambos os sentidos, o tamanho da ciclofaixa é bem menor do que o recomendando pelas normas do Contran. As normas, tem como objetivo garantir a segurança tanto dos ciclistas como dos motoristas e pedestres.

Alerta de perigo

Os vereadores Marcus Valle e Quique Brown que costumam pedalar constantemente, foram até o local na manhã deste sábado, 7, e alertaram em suas redes sociais sobre o assunto e o perigo. Eles aliás, devem cobrar explicações oficiais da Prefeitura, nos próximos dias.

Vale lembrar que passam pela via, ao longo do dia, além de ciclistas, muitos caminhões e ônibus.

Além disso, segundo  o artigo 201 do CTB deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta  é um infração média. Com a ciclofaixa tão estreita,  o caminhão acaba passando bem pertinho do ciclista.

A ciclofaixa, além de estar fora do padrão do Contran está também fora das especificações do próprio Plano de Mobilidade Urbana de Bragança Paulista. O Plano de Mobilidade foi finalizado em 2018 e prevê ciclofaixas de 1,5 m.

A implantação

A demarcação, segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, aliás, começou a ser efetuada na Rua Antonio Sabella, no bairro Parque dos Estados, seguindo pela Avenida dos Imigrantes, até a Rua Aquiles Bianchi, nas imediações da Praça dos Trabalhadores.

Em nota, a Prefeitura informou ainda que a ciclofaixa seguirá ao longo do canteiro central nos dois sentidos da via. Além da pintura no solo contará com canalização com tachões e tachas, bem como toda sinalização necessária.

As empresas que estão executando os serviços são: Ensitran Indústria e Comércio de Placas Ltda (Sinalização Horizontal), Novo Rumo Sinalização Viária Ltda (Canalização) e Sinasc Sinalização e Construção de Rodovias Ltda (Sinalização Vertical).

Estacionamento irregular

Além da ciclofaixa não obedecer os padrões de segurança chama atenção outro problema no trecho da Avenida dos Imigrantes, onde a sinalização já foi implantada: o estacionamento de veículos em cima da calçada é bem comum. Os carros, em cima da calçada, dificultam a trajetória dos pedestres e demonstram a falta de fiscalização e orientação no local, já que a ação é rotineira.

Radares de 50 km/h

Com a implantação da ciclofaixa, mesmo fora do padrão do Contran, a Prefeitura divulgou ainda que vai reduzir a velocidade máxima permitida na via. A velocidade passará a ser de 50 km/h, segundo o divulgado.

A Prefeitura, aliás, divulgou que serão instalados equipamentos de fiscalização eletrônica na via, a fim de garantir maior segurança viária.

Os pontos de implantação de fiscalização, no entanto, não foram divulgados na nota. Vale lembrar, no entanto, que edital de licitação que contratou empresa para implantação de radares há a previsão de 4 radares, em cada sentido da Avenida dos Imigrantes. Os radares, segundo o edital, seriam religados, exatamente nos pontos onde os mesmos já estavam instalados nas administrações anteriores:

  • Avenida dos Imigrantes nº 1387 (Vila Malva)
  • Avenida dos Imigrantes nº 6776 (Proximidades do Jardim da Fraternidade)
  • Avenida dos Imigrantes 5242 (Popó)
  • Avenida dos Imigrantes 5052 ( Popó)

Na região da Vila Malva e da Fraternidade, a fiscalização era de 60 km/h e na região do Popó de 40km/h.  Não se sabe se a Prefeitura tornará tudo 50 km/h ou manterá no Popó os 40 kmh, por causa da travessia de pedestres. A Prefeitura também não divulgou ainda quando os radares na Avenida dos Imigrantes serão ligados.

Esta não é a primeira vez que a Secretaria de Mobilidade Urbana implanta algo em desacordo com a legislação de trânsito. Na semana passada, o Em Pauta alertou que foram penduradas algumas faixas na sinalização de trânsito em desacordo com o CTB e que as mesmas estavam prejudicando os motoristas. Dias depois elas foram trocadas de lugar e penduradas em bambu.

 

Deixe uma resposta