Mais de três meses depois da implantação da restrição da circulação de caminhões na Avenida Dom Pedro I, Avenida Alberto Diniz e Avenida dos Imigrantes (entre a Praça Nove de Julho e a rotatória de acesso à Rodovia Capitão Barduíno),  enfim a Secretaria de Mobilidade Urbana, divulgou um balanço dos resultados, que indicam a aplicação de mais de 10 mil multas. Além disto,  a Prefeitura cedeu à pressão dos comerciantes e recuou, reduzindo o horário de restrição.

O  balanço e o anúncio da redução foi feito na noite de segunda-feira, dia 30, durante reunião na Escola Municipal Coronel Ladislau Leme,  no Bairro Santa Luzia.

Atualmente a restrição é válida  das 7h às 22h para caminhões com placas de outros municípios e das 7h às 9h e das 17h às 19h para caminhões com placas de Bragança Paulista.

O novo horário vale para caminhões com placa de Bragança Paulista cujos comércios ou empresas, estão situados nos trechos das avenidas que são diretamente impactadas pelo decreto.

Neste caso, a circulação de caminhões só será restrita das  8h  às 9h as 18h as 19h, ou seja a restrição passará a valer apenas duas horas por dia, de segunda a sexta-feira.

A medida também será válida para caminhões previamente cadastrados na Secretaria de Mobilidade Urbana, com base nas excepcionalidades.

O novo horário de restrição deverá ser normatizado através de decreto a ser publicado no Imprensa Oficial e deverá entrar em vigor em dez dias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Durante a reunião, que contou com a participação de secretários, vereadores, professores e funcionários da escola onde o evento ocorreu, além de um grupo pequeno de comerciantes, o secretário de Mobilidade Urbana, Manoel Botelho fez uma explanação dos resultados dos primeiros 90 dias da medida.

O  secretário de Mobilidade Urbana, lembrou que a restrição foi adotada depois que a atual administração constatou que nas contagens feitas em 2016, ainda na administração de Fernão Dias, por causa do Plano de Mobilidade Urbana, ficou constatado que cerca de 2.300 caminhões, entravam na cidade pela Fernão Dias e saiam para Socorro e Itatiba e que isto danificava o pavimento e dificultava o trânsito.

Com estas contagens e outras pesquisas a atual administração optou por efetuar a restrição.

Botelho, apresentou o Volume Diário Médio de veículos nas principais vias da cidade. Na Avenida dos Imigrantes, por exemplo, o volume diários é de 43.344 veículos. Já na Avenida Dom Pedro I, este número chega a 20.064 e na Avenida Alberto Diniz 15.105 veículos/por dia.

O secretário ressaltou ainda que em maio,  2973 veículos pesados passavam pelas três vias onde a restrição de circulação de caminhões foi adotada. Em junho, este número foi de 2924 e em julho, quando a medida foi adotada o número caiu para 1712 caminhões.

Em agosto, o número caiu para 1674 e em setembro para 1355 caminhões, o que para ele justifica as mudanças.

MULTAS APLICADAS

Botelho ressaltou ainda que os equipamentos eletrônicos instalados nestas vias registraram do dia 17 de julho até o dia 20 de outubro, mais de 26 mil fotos de caminhões que passaram pelos equipamentos em horários proibidos de circulação.

Destas 26 mil imagens, entretanto, 16.430 foram descartadas porque os veículos estavam cadastrados na Secretaria de Mobilidade Urbana, como casos excepcionais.

Segundo o secretário foram aplicadas 9653 multas uma média de 146 multas por dia, sendo que em 1021 casos já forma protocolados recursos.

OBRAS NOVE DE JULHO E IMIGRANTES

O secretário, também ressaltou em sua explanação que a restrição de caminhões não é a única medida que está sendo adotada para melhorar a mobilidade urbana.

Ele disse que a previsão é de que em 60 dias se iniciem obras, tanto na Praça Nove de Julho, como na Avenida dos Imigrantes, que deverão melhorar e muito, o trânsito da região e acabar com uma novela que se arrasta há anos.

A Praça Nove de Julho, será reformada com verbas do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turístico (DADETUR), conquistadas ainda na administração de João Afonso Sólis (Jango)  e que foram sempre cercadas de muita polêmica junto ao Ministério Público, Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Condephac) e impugnações de licitação.

Entre outras coisas está prevista a retirada da rotatória que dá acesso à Rua Arthur Siqueira e também à Rua Teixeira, além do alargamento da via e consequentemente, diminuição da praça para que hoje, onde passam veículos apenas sentido Lavapés/Lago do Taboão, circulem também veículos no sentido contrário, deixando a via em frente aos comércios ou seja, no sentido Lago do Taboão/Lavapés, para trânsito local.

Já as obras da Avenida dos Imigrantes, que será realizada com verbas do shopping, a partir de um acordo firmado ainda na administração de Fernão Dias, contemplam, entre outras coisas, a retirada de rotatórias e implantação de semáforos. O projeto inicial, também vem da administração Jango.