A Prefeitura disponibilizou na internet, depois das 20h, o Imprensa Oficial  de terça-feira, do dia 11 de julho, com a regulamentação da circulação de caminhões no município.

Como é que é?

A Prefeitura mesmo sem ter jurisdição da via, mantém a proibição de caminhões na Avenida Dom Pedro, às margens do Lago do Taboão.

Vale lembrar, que em fevereiro, a Secretaria de Mobilidade Urbana, desligou radares existentes no local alegando que não podia atuar no local e agora, os mesmos equipamentos serão utilizados para fiscalizar o tráfego de caminhões, o que pode abrir precedente para ações futuras.

Se a Prefeitura não podia fiscalizar a velocidade no local como agora pode fiscalizar os caminhões? Esta é a pergunta que continua sem resposta da administração municipal.

A regulamentação

De acordo com o Decreto nº 2484, em 12 de maio de 2017, a partir de segunda-feira, dia 17, sempre de segunda à sexta-feira, os caminhões estão proibidos de circular entre 7h e 22h, na Avenida Dom Pedro I (nos dois sentidos), Avenida dos Imigrantes (nos dois sentidos) entre a Praça Nove de Julho e a rotatória da Avenida Doutor Plínio Salgado – acesso ao Circuito das Águas, e Avenida Alberto Diniz, também nos dois sentidos.

De acordo com a regulamentação, os caminhões com placa de Bragança Paulista não poderão circular das 7h às 9h e das 17h às 19h, podendo circular livremente fora desses horários.

O mesmo vale para caminhões que farão obras e serviços de infraestrutura urbana e prestação de serviços públicos essenciais.

Além disto, também poderão circular, desde que devidamente cadastrados junto à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, os caminhões que terão acesso a pátio ou estacionamento próprio, aqueles destinados ao transporte de máquinas, equipamentos e materiais básicos para construção civil e afins, os caminhões utilizados nas feiras livres, nas mudanças, e no transporte de produtos perigosos de consumo local e produtos alimentícios
perecíveis.

Caso empresas sediadas na cidade não possuam frota própria e utilizem serviços de caminhões com placas de outra cidade também deverão realizar o cadastro na Secretaria de Mobilidade Urbana, situada na Av. Francisco Samuel
Luchesi Filho, 42, Jardim Júlio Mesquita Filho.

Informações podem ser obtida pelo telefone (11) 4035-0742

Ainda de acordo com o decreto, não será restringido o tráfego dos veículos destinados à urgência, ao socorro mecânico de emergência, cobertura jornalística, coleta de lixo, obras e prestação de serviços de emergência, correios, serviço emergencial de sinalização de trânsito e ao transporte de valores.

A Prefeitura ainda informa que a fiscalização será realizada por agentes de trânsito e eletronicamente e que nos dias 13 e 14 de julho, haverá instalação das placas de sinalização.

A partir de segunda-feira, 17, os motoristas que infringirem as novas regras estarão sujeitos a perda de 4 pontos na carteira de habilitação e multa pecuniária de R$ 130,16.

Justificativa da restrição

A restrição de caminhões, mesmo com as excepcionalidades gera polêmica, porque não resolverá os problemas de tráfego de caminhões que apenas passam pela cidade, o que seria solucionado com a construção de uma perimetral.

Segundo o secretário de Mobilidade Urbana, Manoel Botelho “atualmente há mais ou menos 2 mil caminhões por dia transitando nessas vias, o que impacta muito no trânsito. Ainda não é possível a construção de um anel viário ou uma perimetral para a solução dos problemas, por isso estamos utilizando medidas restritivas, alinhadas ao Plano de Mobilidade Urbana, que almeja privilegiar o transporte público. É importante ressaltar que como conseguimos a doação das placas, junto às concessionárias Rota das Bandeiras e Autopista Fernão Dias, e a configuração do sistema de monitoramento não gerou nenhum custo extra, não iremos onerar os cofres públicos”