A manhã do feriado de 2 de novembro foi agitada nos meios policiais. Uma perseguição com troca de tiros entre a Polícia Militar e uma quadrilha terminou com uma pessoa presa.

Policiais Militares faziam patrulhamento pelo bairro Henedina Cortez na manhã de quarta-feira, dia 2, quando foram informados de um roubo a residência no Jardim São Lourenço, praticado por quatro indivíduos, que fugiram em um veículo VW/Gol, de cor verde.

Os policiais avistaram o veículo  na Av. Herculano Augusto de Toledo, em sentido contrário a viatura.

Os policiais fizeram o retorno para fazer a abordagem do veículo, mas o mesmo empreendeu fuga, tendo inicio então uma perseguição.

Foi então que em determinado trecho da via pública, o motorista perdeu o controle de direção do veículo, caindo em um barranco na Avenida Rosa Rafanti Cecchettini.

Os ocupantes desceram do carro e atiraram contra os policiais, entrando em um matagal e em um rio ali existente.

A PM de Bragança acionou apoio do helicóptero Águia e de outras viaturas a fim de capturar a quadrilha. Outras viaturas da Polícia Militar e da Guarda Civil se deslocaram ao local.

Foi então que na Rua Ézio Dínamo Rossi, no Jardim Águas Claras, um indivíduo foi abordado, todo sujo de terra e mato e molhado. Ele foi identificado como Cristiano Silva Souza, de 26 anos.

A princípio ele negou qualquer participação no roubo, mas como os policiais tinham encontrado dentro do veículo abandonado uma blusa verde e uma touca ninja, ele acabou confessando que foi contratado para levar os indivíduos até o bairro do Menin e alegou desconhecê-los.

Dentro do carros as forças de segurança encontraram 1 revólver calibre 32, numeração raspada, com quatro munições intactas.
Os outros três indivíduos conseguiram fugir. O veículo, de placas CCL-5003/Nazaré Paulista, foi apreendido e recolhido ao guincho. Cristiano foi conduzido ao Plantão Central, autuado em flagrante por roubo e recolhido à cadeia.

A Polícia Civil irá investigar o caso afim de apurar quem são os outros três indivíduos bem como identificar se quadrilha já cometeu outros crimes no município.